Com estreia ágil, ‘Geração Brasil’ apresenta trama e personagens promissores

Folhetim

Ao contrário de sua antecessora “Além do Horizonte”, “Geração Brasil”, estreia da Globo desta segunda-feira (5), apostou em um elenco de nomes já consagrados. E o fato de contar com atores como Cláudia Abreu, Murilo Benício, Lázaro Ramos, Taís Araújo, Isabelle Drummond e Humberto Carrão, entre outros, fez com que a novela de Filipe Miguez e Izabel de Oliveira repercutisse de forma rápida e positiva nas redes sociais. Um bom (e desejado) começo.

O casal de protagonistas, Pamela Parker e Jonas Marra, foi apresentado de forma divertida, fazendo referência aos programas de celebridades. O recurso deu credibilidade à história que estava sendo contada.

Ele, papel de Benício, é um visionário, com ares de Steve Jobs, que transformou o mundo com suas criações. Já sua esposa é a queridinha dos Estados Unidos, mostrada como uma mistura de Jane Fonda e Angelina Jolie. É importante ressaltar que mesmo tendo em mãos uma personagem tão over quanto a Chayenne de “Cheias de Charme”, dos mesmos autores, Cláudia Abreu conseguiu se distanciar bem da afetada cantora.

Isabelle Drummond deu provas de que já está mais do que preparada para novos desafios. Como uma espécie de Lindsay Lohan, a atriz é Megan, herdeira dos Parker-Marra, e apareceu diferente de tudo o que ela já viveu na TV. E não apenas por causa do novo visual.

Já Humberto Carrão é o nerd bonitão (Davi), que, logo de cara, se encantou por Manu, interpretada por Chandelly Braz, sua namorada na vida real. O difícil será manter Carrão longe de Isabelle, com quem já formou um casalzinho bem querido pelos telespectadores em duas ocasiões: “Cheias de Charme” e “Sangue Bom”.

Luis Miranda, que interpreta uma mulher - Dorothy, mãe do guru Brian (Lázaro Ramos), e Rodrigo Pandolfo, que estava hilário como o repórter afetado e sensacionalista Shin-Soo, também chamaram a atenção neste primeiro momento.

O elenco da nova novela pode até já ser velho conhecido do público, mas o mesmo não acontece com o tema central: a tecnologia. Além de diferente, a trama é atual e tem potencial para atrair a garotada mais antenada.

O mistério apresentado também deu um toque especial ao capítulo de estreia. Jonas Marra decidiu se mudar para o Brasil, mas, ao que tudo indica, contra sua vontade. Ao pensar sobre seu retorno ao país onde nasceu, o magnata teve uma lembrança do passado, na qual fugia com um computador e deixando para trás uma namorada. O que ele fez para ter que fugir, obviamente, não foi revelado.

Agora é torcer para que “Geração Brasil” continue com este astral bom e cumpra sua missão de resgatar a audiência perdida do horário das sete.

Conspiração!

Não foi apenas a qualidade de “Geração Brasil” que virou assunto nas redes sociais. Muita gente acusou a Globo de fazer campanha antecipada aos pré-candidatos à Presidência da República - o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o ex-governador pernambucano Eduardo Campos (PSB) – de maneira implícita na logo da novela.

De acordo com esta teoria, as palavras “G3R4Ç4o” e “BR4S1L” formariam os números dos candidatos citados: 40 e 45.

Coincidência ou “piração”?

Siga-me no Twitter: @vanessapbm