Esfoliação na virilha ajuda a clarear a pele e evitar o pelo encravado

A virilha é uma das regiões que mais sofrem com pelos encravados e pele escurecida devido ao uso contínuo de lâmina ou cera. Mas não é porque fica escondida, que a região não merece respeito. Para ajudar a clarear essa área do corpo e acabar com a foliculite (inflamação do folículo capilar), a principal saída é a esfoliação, que colabora, e muito, para manter uma depilação perfeita. Com o auxílio de especialistas, listamos uma série de receitas de esfolinates caseiros e cuidados básicos na hora da aplicação.

Segundo a dermatologista Flavia Ravelli, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, a esfoliação só ajuda no processo de depilação se for realizada de forma correta. “Ela remove suavemente as células mortas e mais superficiais da pele e, com elas, algum grau de células de pigmento que geram o aspecto escurecido da região.”

Por ser um procedimento abrasivo, pode causar microfissuras na pele (machucados microscópicos), favorecendo a infecção por bactérias, vírus e fungos. Justamente por isso, todo cuidado é pouco. “A esfoliação excessiva pode acentuar as manchas, em um processo conhecido como hipercromia pós-inflamatória, quando a pele agredida pela esfoliação responde aumentando o número de células de pigmento”, ressalta a médica.

Mas tudo isso pode ser evitado se uma regra básica for seguida: realizar a esfoliação, no máximo, duas vezes por semana. Outra recomendação é iniciar o processo cinco dias após a depilação, nunca na véspera. “Esse período é variável a depender da sensibilidade individual de cada cútis. Se a pele ainda estiver vermelha, irritada ou descamando, a esfoliação deve ser iniciada mais tardiamente”.

Esfoliantes caseiros
A depiladora Haiane Mendes da Silva costuma indicar às suas clientes receitas caseiras de esfoliantes que, segundo ela, “são ótimos para esta região do corpo”. Com custo acessível e fácil de encontrar em qualquer supermercado, os produtos naturais auxiliam na hidratação da pele, “mas é preciso respeitar o período indicado pela dermatologista”, avisa.

A primeira dica é usar duas colheres (sopa) de açúcar e duas colheres (sopa) de óleo de amêndoas. “Basta misturar em um recipiente pequeno e aplicar na região antes do banho, mas é bom evitar a água muito quente. A pele fica lisinha e ajuda demais a desencravar os pelos das meninas que depilam com cera quente”, assegura Haiane.

Se a pele for muito sensível, a profissional indica usar duas colheres de sopa de mel e a mesma medida de aveia em flocos. “Geralmente sugiro esta mistura para o rosto, por ser menos agressiva, mas a pele da virilha também é delicada e necessita de cuidados. Funciona bem porque a aveia nutre a pele. Só é preciso ter mais paciência para notar os resultados.”

A mistura de mel e açúcar (duas colheres de sopa de cada) é a terceira sugestão de esfoliação caseira recomendada pela depiladora. “É ideal para peles oleosas. Tenho muitas clientes que preferem esta solução. Só aviso para tomarem cuidado na hora de aplicar, a massagem tem de ser em movimentos circulares e leves para não arranhar a pele. E o passo final é usar um bom hidrante.”

O açúcar, presente em quase todas as dicas caseiras, pode ser substituído pelo fubá para ajudar a clarear a pele. “O resultado é muito bom”, afirma a Haiane. Neste caso, também são utilizadas duas colheres de sopa de cada produto. A mistura deve ser aplicada com massagem suave na região da virilha durante três e cinco minutos. É importante finalizar com água fria.

E se os pelos continuam encravados?
A esfoliação impede que as células mortas da pele fiquem acumuladas perto da saída do pelo, o que gera a foliculite. Mas se os pelos continuarem encravando mesmo com o processo regular de esfoliação, a única saída é iniciar um tratamento com cremes de ação antiinflamatória, antibióticos e sabonetes antissépticos, indica Flávia Ravelli.

A especialista conta que casos graves necessitam de antibióticos orais. “Existe um tipo de pelo que se curva próximo à pele ao nascer, encravando com facilidade. Chama-se ‘pilli recurvati’ e é mais frequente em afrodescendentes. Neste caso, a depilação definitiva com laser poderá ser a única solução”, sugere.

Cuidados essenciais
Regra número um: cada pessoa tem um tipo de pele que precisa ser respeitada. Além disso, a produção caseira de esfoliantes e a aplicação devem ser rigorosas para evitar efeitos indesejáveis. O alerta é da dermatologista, que já atendeu em seu consultório uma paciente com reação inflamatória após de o uso de uma receita produzida em casa. “Se a pessoa usar mel vencido, ou dependendo da mistura que fizer, poderá sofrer ferimentos semelhantes à queimadura, podendo deixar marcas”, observa.

A médica esclarece, ainda, que as regiões da axila e da virilha são quentes, úmidas e atritas, favorecendo ainda mais o problema. “E para somar, no verão as pessoas se esfoliam e saem ao sol, e produtos caseiros podem causar esse tipo de queimadura quando entram em contato com a luz solar”, reforça, ao mencionar que há vários “esfoliantes baratinhos” testados para toxicidade, alergenicidade e com perfil de segurança adequado.

Leia também:
Quatro máscaras caseiras para nutrir e renovar a pele do rosto
Quatro receitas caseiras para deixar as axilas saudáveis e lisinhas
Pernas lisas e hidratadas: 5 truques para prevenir e combater o ressecamento


Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos