Depilação íntima em cada idade

Da infância à terceira idade a mulher passa por inúmeras fases e alterações hormonais. Entenda como isso influencia na depilação íntima e como manter a pele lisinha respeitando as características de cada período.

Adolescência - É a fase da descoberta, quando surgem os primeiros pelos – ou os já existentes engrossam. Nada habituadas com a dor inerente aos processos depilatórios as garotas testam os métodos disponíveis até encontrar um que atenda as suas necessidades. “Não há contraindicação de método. Mas, uma vez que se pretende diminuir os pelos e afiná-los o ideal é que se inicie com cera quente ou aparelhos elétricos o quanto antes. É muito possível que a primeira depilação provoque um grande incômodo. Porém a tendência é se acostumar com isso nas vezes seguintes”, comenta Denise Torloni, ginecologista e obstetra do Rio de Janeiro.

Período menstrual -
De acordo com Regiane Monteiro, membro da Sociedade Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, nas fases de alterações hormonais, o corpo da mulher está mais fragilizado. “No período pré-menstrual, o organismo retém água e a pele estica, aumentando a sensibilidade à dor. A depilação passa a ser um estímulo ainda mais agressivo e doloroso. Portanto, melhor esperar”.

Gravidez - A gestante pode manter a depilação em dia utilizando os métodos com os quais está acostumada – exceto, é claro, o laser cujos estudos não comprovam 100% de segurança para o feto. Cremes depilatórios íntimos também exigem cautela. Antes de ministrar qualquer produto é indispensável conversar com seu médico.

Regina Monteiro salienta os cuidados que devem ser respeitados à medida que o parto se aproxima. “O prazo máximo que estabeleço para meus pacientes são de até duas semanas antes do parto. Trata-se de uma medida de segurança para evitar inflações: mesmo que seja pelo encravado, foliculite (inflamação do folículo piloso do pelo), pequenos arranhões ou cortes representam riscos para quem vai ou pode precisar fazer uma cesárea de última hora”.

Mas a ginecologista também garante que não é preciso se preocupar caso não dê tempo de se preparar nesse sentido: “frente ao excesso de pelos o médico pode utilizar uma lâmina apenas no local da incisão para que não atrapalhem a cirurgia”.

Pós-parto - Os especialistas ouvidos pela reportagem orientam o prazo de 30 dias para retomar qualquer método de depilação. “As mudanças que a gravidez traz não são poucas. O corpo feminino ganha novos contornos para acomodar o bebê. Os hormônios, que controlam o organismo, demoram a parar de agir depois do nascimento – o que pode deixar a pele mais sensível a dor. No caso da cesariana, é seguro esperar um mês para não ter problemas com a cicatrização do corte. Para quem fez parto normal já é uma questão de disposição de cada mulher”, explica Denise.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos