Depilação íntima


O que dizem os profissionais médicos sobre os perigos de ficar sem pelos na região genital

Não há dúvida de que a depilação íntima — que, não por acaso, lá fora é conhecida como "Brazilian wax", ou seja, a depilação brasileira — está ganhando mais e mais adeptas no Brasil. Mulheres que querem ficar com tudo lisinho na região genital, porém, têm de enfrentar uma dúvida também frequente: tirar tudo ou não?

Ainda que, para muitas, a questão se resuma a gosto pessoal, a maior parte dos médicos não aprova essa conduta. "Os pelos têm função protetora", explica Denise Coimbra, ginecologista. Assim, se livrar deles totalmente pode abrir o organismo da mulher a fungos e bactérias que causam, entre outras doenças, a vaginite. Por isso mesmo, o melhor desenho é aquele que mantém os pelos na entrada da região genital, onde se concentram esses organismos.

A depilação total já vem sendo questionada também em sites e revistas estrangeiros, provando que a moda da depilação à brasileira está por todos os cantos. Os profissionais todos concordam: devido à presença desses fungos e bactérias, quem faz a depilação íntima pode diminuir a imunidade, além de abrir a porta para infecções e inflamação da pele.

Quem quer adotar mesmo assim precisa tomar cuidados. O melhor método é mesmo a cera, já que tirar todos os pelos de uma região tão sensível com lâmina, por exemplo, pode desencadear uma desagradável foliculite. Porém, fique de olho na temperatura: como a pele da região genital é mais sensível que a do resto do corpo, se o material estiver muito quente você pode sofrer com inchaço e irritação.

Outra opção são os lasers, que devem ser feitos sempre com o acompanhamento de um médico, especialmente devido à sensibilidade da área, e devem usar uma potência mais baixa do que para o resto do corpo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos