Cinco dúvidas sobre depilação a laser


Muita gente morre de vontade de acabar de vez com os pelos, mas ainda não resolveu marcar suas sessões de depilação a laser por um simples medo. Afinal, é o método mais tecnológico de depilação e, por isso, dúvidas são naturais. Reunimos as principais questões que vêm à mente de quem está entrando no mundo da depilação definitiva.

É muito caro?
Depende do laser escolhido e, é claro, da clínica. A sessão pode custar, em média, até 200 reais para áreas maiores, como a perna. Já buço e virilha ficam mais baratos. Lembre-se de que precisará de no mínimo cinco sessões para ver o efeito, e se programe de acordo. Vale um alerta: se for comprar em sites de compras coletivas, verifique se o profissional que aplica o laser é um dermatologista. "Além de ter certeza da qualidade do equipamento, é importante verificar a capacitação e as referências de quem irá aplicá-lo", reforça a dermatologista Suzana Wu.

A depilação a laser dói?
A sensibilidade à dor varia entre as mulheres, mas a maioria reclama da dor dos aparelhos a laser. Isso acontece porque, para chegar ao folículo piloso, a luz precisa atravessar a pele. Para amenizar a dor, algumas clínicas oferecem pomadas para anestesiar a pele. Além disso, tente optar sempre que possível por aparelhos que tenham algum tipo de resfriamento — é só perguntar ao médico.

Os pelos podem voltar a crescer?
Apesar de a gente em geral chamar a depilação a laser de definitiva, podem, sim. Mas não é preciso se preocupar: isso só acontece pelo menos depois de seis meses, e mesmo assim, não em todos os casos. Ainda que o pelo volte a crescer, explicam os especialistas, ele voltará muito fino e claro. Se incomodar mesmo assim, sem dramas: uma sessão de manutenção resolve o problema e acaba com eles mais uma vez!

Qual o laser mais moderno do mercado?
A ponteira de luz pulsada é um dos lançamentos do mercado para conseguir melhores resultados — dizem os médicos que a redução chega a 95% dos pelos. "O resultado do tratamento é superior aos dos principais lasers. Outra vantagem é o fato de não ser tão doloroso como as aplicações existentes no mercado, porque a ponteira possui um resfriamento que protege a superfície da pele", explica Ana Rosa Visnardi, fisioterapeuta e especialista de produtos da Medpro.

Posso fazer no verão?
Apesar de a maioria dos médicos ser taxativo quanto à proibição da exposição ao sol durante o tratamento, já existe um laser específico para peles bronzeadas. "O laser Soprano tem ação seletiva, que permite uma regulação do comprimento de onda para que a melanina, contida em grande quantidade no folículo piloso, possa captar maior quantidade de energia", esclarece. Assim, a pele, mesmo que mais escura devido ao sol, não fica manchada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos