‘Brazilian wax’, a técnica brasileira que conquistou as estrangeiras

A imagem de mulher sensual inspirada na musa Madonna, que na década de 1980 já abusava da malhação e mostrava um corpo super definido, merecia um incentivo. Ao perceberem uma oportunidade para deixar a americana mais sexy, sete irmãs brasileiras apresentaram às gringas um novo tipo de depilação íntima. Em 1987, as J. Sisters, como ficaram conhecidas após abrirem um salão com o mesmo nome em Nova York, levaram à cidade mais populosa dos Estados Unidos a ‘brazilian bikini wax’ (depilação brasileira para biquíni).

Ousado àquela época, o método – que remove totalmente (ou parcial) os pelos da região pubiana utilizando a cera quente – logo virou referência nos salões de beleza internacionais e foi rapidamente popularizado ao ser mencionado na minissérie ‘Sex and the City’, quando uma das protagonistas afirmou que “se sentia nua e sexy” após experimentar a famosa técnica importada. Pronto! Bastou para marcar a expressão, utilizada em vários países para indicar a depilação completa.

Com a adesão das famosas, a remoção total dos pelos também ficou caracterizada como ‘Hollywood wax’. Mas há quem prefira o estilo ‘pista de pouso’, com aquela pequena faixa de pelo deixada na frente. A partir daí, várias tendências nacionais caíram no gosto das estrangeiras, que aderiram à tatuagem de tinta (‘vatooing’) e de cristal (‘vajazzling’), ambas são temporárias e prometem deixar o visual íntimo um luxo.

O mercado, que cresceu em outros países nos últimos 10 anos, motivou mais brasileiras a investirem no segmento. A psicóloga Luana Lemos Soares apostou na oportunidade e deixou o Brasil, em 2006, para virar empresária. Abriu uma franquia de um salão de depilação em Londres, capital da Inglaterra, onde permaneceu até 2012. “Antes, o comum para elas era depilar somente a virilha. Mas nossos métodos acabaram virando uma cultura local. As estrangeiras que se adaptam a este tipo de depilação dificilmente voltam ao método antigo”, conta.

Riscos X cuidados
Em 2009, a depilação total foi proibida em Nova Jérsie, nos Estados Unidos, após duas mulheres ficarem hospitalizadas com infecções. A alegação, nos dois casos, foi de que elas teriam passado pelo procedimento, cuja segurança começou a ser questionada. Mas os salões de beleza protestaram e a decisão não durou muito.

Especialistas em depilação asseguram que depilar completamente a região da virilha e nádegas é seguro, desde que normas de higiene sejam seguidas, a principal delas: jamais reaproveitar a cera. “Por isso, é muito importante ficar atenta quando está na sala de depilação e se certificar de que a profissional descarta a cera e todos os materiais após o uso”, alerta a empresária Luana.

A recomendação médica, no entanto, indica que um mínimo de pelo púbico deve ser deixado na entrada da vagina. Em seu blog, o ginecologista e terapeuta sexual Amaury Mendes Júnior afirma que os ‘pelos na região genital auxiliam na proteção contra traumas e garantem a defesa de infecções bacterianas causadas pela transpiração produzida por uso de roupas apertadas ou úmidas’.

Depilação com terapia
Uma das irmãs depiladoras que criaram o ‘brazilian bikini wax’, Janea Padilha aproveitou a popularidade e lançou, em 2010, um livro de autoajuda com os conselhos que dá às suas clientes. Entre um puxão de cera e outro, a brasileira deu vida à obra ‘Brazilian Sexy: Secrets to Living a Gorgeous and Confident Life’ (Brasileiras Sexy: segredos para uma vida bela e autoconfiante). O livro foi assinado juntamente com a escritora americana Martha Frankel e é o primeiro de uma série que a depiladora pretende lançar com os segredos deste universo que transformou a sua vida.

Leia também:
O que os especialistas dizem sobre a depilação íntima total?
Depilação íntima: mitos e verdades
Depilação artística: veja os desenhos mais pedidos e aprenda a fazer em casa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos