Black Eyed Peas lança novo single, faz planos de voltar ao Brasil e elogia Anitta: 'Ela é impressionante'

Tudo que envolve o grupo americano Black Eyed Peas — 27 anos de carreira, 68,7 milhões de discos vendidos e pelo menos cinco músicas que chegaram ao topo das paradas mundiais — costuma dar o que falar. Em maio, por exemplo, o Twitter se agitou com a descoberta, pelos fãs mais jovens, de que um de seus integrantes, o rapper Allan Pineda Lindo, mais conhecido como Apl.de.ap, era legalmente cego.

Em 2011, o músico já havia revelado sofrer de nistagmo, uma doença que provoca movimentos involuntários e repetitivos dos olhos, resultando numa visão embaçada. Ele passou por uma cirurgia para a implantação de uma lente, em 2012, que o fez enxergar um pouco melhor, mas ainda assim continua a precisar da ajuda de seus colegas de grupo — will.i.am e Taboo — para movimentar-se no palco.

— Foi muito bom poder compartilhar aquilo que eu estava passando, espero que isso leve outras pessoas a não desistir dos seus sonhos e seguir em frente, trabalhando duro, apesar das dificuldades — diz Apl.de.ap de Paris, por Zoom, ao lado de Taboo (e com will na outra tela, de Londres), desta vez para falar de “Don’t you worry”, o primeiro single (lançado no último dia 17) do próximo álbum do Black Eyed Peas.

A nova música reúne o trio (que desde 2018 conta com a cantora J. Rey Soul no lugar da popularíssima Fergie) ao DJ e produtor francês David Guetta (com quem fizeram o megahit “I gotta feeling” em 2009) e a colombiana Shakira (com quem gravaram em 2020 a música “Girl like me”).

— Nós e David somos ligados como se fossemos irmãos, e com Shakira fomos desenvolvendo também uma relação. Foi uma progressão natural para trabalharmos todos juntos — explica Taboo. — David Guetta mandou batidas e faixas prontas para o will, e acabamos preferindo “Don’t you worry”. Compusemos a música e pensamos que Shakira deveria se juntar a ela.

Para Apl.de.ap, “Don’t you worry” reflete tudo o que o grupo passou nesses últimos dois anos, longe dos palcos, por causa da pandemia:

— Queríamos fazer uma canção otimista e esperançosa, para aquela hora em que voltássemos a nos encontrar cara a cara com o público.

Já segundo Taboo, as semelhanças entre a nova música e o hit de 2009 com David Guetta não são casuais:

— É ótimo quando podemos fazer uma canção que reflete o que está acontecendo em nossas vidas. “I gotta feeling” acabou se comunicando com o mundo, até hoje as pessoas se sentem bem quando ouvem essa música. Sempre tentamos criar um irmão de “I got a feeling” e acho que agora conseguimos.

Durante a pandemia, os Black Eyed Peas fizeram “Translation”, um álbum recheado de participações de artistas do pop latino atual, que os devolveu a um patamar de sucesso que não conheciam desde 2010, com o álbum “The beginning”.

— Temos orgulho desses artistas que assumiram o leme da música pop, sejam Bad Bunny, J Balvin, Residente, Shakira, Ozuna ou Karol G. Há artistas incríveis que estão mudando a narrativa do “oh, eles são artistas latinos!” para “oh, eles são artistas que estão emplacando sucessos nas paradas pop globais!” — explica Taboo, que é filho de mexicanos e se chama Jaime Luis Gomez. — Sempre fomos fãs de artistas latinos e trabalhamos antes com vários deles. Tivemos, por exemplo, a honra de trabalhar com Sérgio Mendes em 2004 no “Mas que nada”. A latinidade está no nosso DNA, nós crescemos em Los Angeles!

Em 2019, os Black Eyed Peas dividiram com Anitta a faixa “eXplosion”. Hoje, acompanham com alegria o sucesso internacional da brasileira.

— Anitta é impressionante, estou muito feliz com o que está acontecendo. Ela tem um incrível base de fãs no Brasil que a apoia. Acho que ela veio para ficar, é só uma questão de tempo para que tenha mais hits internacionais. Adoraríamos se ela participasse desse novo projeto do Black Eyed Peas — anuncia will.i.am, que confirma planos antigos de comprar uma casa no Rio de Janeiro e elogia o trabalho do produtor carioca Papatinho.

Will adianta que o novo disco dos Black Eyed Peas será festivo.

— E é tudo que digo, queremos que as pessoas sejam surpreendidas! Vamos dar o acabamento ao disco enquanto excursionamos. Nós terminamos “The E.N.D.” [álbum de 2009] depois de uma turnê, e começamos ele quando estávamos em outra turnê... pelo Brasil! Fizemos muita festa em Recife, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Manaus, Rio... fomos a todos os cantos! É muito bom tocar para milhares de pessoas e depois entrar em estúdio.Depois de terminar a atual turnê europeia (eles tocaram no Rock in Rio Lisboa no último dia 19), o grupo promete começar a pensar numa excursão pela América Latina, que inclui o Brasil.

— A gente quer voltar ao Brasil, se não ainda este ano, no começo do próximo — garante will.i.am.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos