Bjorn Ulvaeus, do Abba, diz que novo álbum pode ser último

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Músico Bjorn Ulvaeus, do grupo pop sueco ABBA, posa para foto em Estocolmo
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

ESTOCOLMO (Reuters) - O grupo sueco Abba lançou seu primeiro álbum de estúdio em 40 anos nesta sexta-feira, mas os fãs que esperam mais músicas no futuro ficarão decepcionados ao ouvir que esta pode ser a última empreitada nova de uma das bandas mais bem-sucedidas de todos os tempos.

"Acho que os outros três dirão 'esta foi a última vez'", disse Bjorn Ulvaeus, uma metade do duo de cantores e compositores do grupo que, com Benny Andersson, foi responsável por sucessos enormes como "Dancing Queen", "Waterloo" e "Money, Money, Money".

"Não estou dizendo nunca. Sempre há uma porta aberta em algum lugar. Odeio dizer que acabou... só estou dizendo que não acho que voltaremos a gravar."

Formado por dois casais em 1972, o Abba já vendeu mais de 385 milhões de discos desde seu primeiro hit, "Waterloo", liderando as paradas de todo o mundo até se separar no início dos anos 1980.

"Abba Gold", uma coletânea de grandes sucessos lançada originalmente em 1992, recentemente ultrapassou a milésima semana na parada de álbuns do Reino Unido.

"Voyage" é o primeiro álbum com canções novas desde "The Visitors", de 1981, lançado pouco antes de a banda terminar e coincidindo com o fim do casamento de Bjorn com a cantora Agnetha Faltskog e do de Benny com Anni-Frid Lyngstad.

Rumores de que o Abba voltaria para se apresentar circularam durante anos, mas os membros recusaram muitas ofertas, incluindo um suposto pacote de 1 bilhão de dólares para voltarem a fazer shows.

(Por Simon Johnson)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos