Bitcoin: bilionário indiano sugere que cripto seja banida

Marcus Couto
·2 minuto de leitura
Rakesh Jhunjhunwala. (Foto: Hemant Mishra/Mint via Getty Images)
Rakesh Jhunjhunwala. (Foto: Hemant Mishra/Mint via Getty Images)

Enquanto alguns apostam suas fortunas no bitcoin, caso de Elon Musk, da Tesla, e Jack Dorsey, do Twitter, outros admitem publicamente que querem vê-la destruída.

Leia também:

Ou pelo menos banida de seus países.

É o caso do bilionário indiano Rakesh Jhunjhunwala, um famoso investidor do mercado de ações, que falou à rede de notícias CNBC sobre a sua visão sobre a mais valiosa das criptomoedas.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

“Eu acho que é uma especulação do mais alto grau”, disse. “Eu não quero entrar para todas as festas na cidade. Acho que a ressaca é muito pior”, disse metaforicamente, em relação à “euforia” que existe em torno do bitcoin.

“Eu nunca vou comprar bitcoins na minha vida”, completou.

Ele sugeriu ainda que as autoridades banam a criptomoeda, e trabalhem em um ativo digital próprio da Índia, na linha do que faz atualmente a China. 

Enquanto isso…

O empresário bilionário americano Jack Dorsey, cofundador do Twitter, anunciou uma nova compra de bitcoins por meio de sua outra empresa, a Square, que desenvolve soluções de pagamentos digitais.

Segundo Dorsey, ele investiu US$ 174 milhões, o suficiente para comprar 3.318 bitcoins.

Anteriormente, a Square já havia anunciado investimentos na maior das criptomoedas, e agora o total do dinheiro da empresa alocado em bitcoins chegou a US$ 224 milhões, o equivalente a mais de R$ 2 bilhões.

O anúncio de Dorsey veio em meio a uma queda acentuada na cotação do bitcoin, depois de a moeda ter atingido no final de semana sua máxima histórica, cotada a mais de US$ 58 mil.

Na segunda e terça-feira, o preço chegou a baixar para a faixa dos US$ 45 mil – considerado atraente, para investidores, como um momento de oportunidade de compra.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube