'Bingo - O Rei das Manhãs' é o filme brasileiro escolhido para tentar vaga no Oscar

(Imagem: divulgação Warner)

A Academia Brasileira de Cinema escolheu ‘Bingo – O Rei das Manhãs’ como o representante nacional a tentar uma vaga ao Oscar de melhor filme estrangeiro em 2018. Agora, o longa baseado na história real do ator Arlindo Barreto, que interpretou o palhaço Bozo durante os anos 80, será avaliado por uma comissão internacional que escolherá os cinco indicados da categoria, a serem revelados em janeiro.

A favor de ‘Bingo’ pesa não apenas a qualidade técnica e a história capaz de envolver diferentes tipos de público, mas também o fato de seu diretor, Daniel Rezende, já ter sido nomeado ao Oscar, em 2004, pelo trabalho de edição em ‘Cidade de Deus’.

“Foi difícil escolher, porque tinham obras muito relevantes, com qualidades, mas a gente teria de três a quatro filmes que poderiam representar o Brasil de forma muito importante”, afirmou Miguel Faria Junior, um dos responsáveis pela decisão.

Além dele, votaram Jorge Peregrino, diretor e vice-presidente da Academia Brasileira de Cinema; Andre Carreira, Iafa Britz, Doc Comparato, João Daniel Tikhomiroff e David Schurmann, diretor de ‘Pequeno Segredo’, que foi o selecionado no ano passado, mas que não ficou entre os cinco finalistas. A última vez que o Brasil foi representado na categoria aconteceu em 1999, com ‘Central do Brasil’.

‘Bingo – O Rei das Manhãs’ continua em cartaz nos cinemas. Leia aqui 10 coisas para saber antes de ver o filme, e veja também nossa entrevista com Daniel Rezende e o ator principal, Vladimir Brichta.