Billy Idol no Rock in Rio esquece letra do próprio sucesso, 'Eyes Without a Face'

RIO DE JANEIRO, RJ, 09.09.2022 - BIlLY-IDOL: Show do cantor Billy Idol, no palco Mundo, durante o segundo dia do segundo final de semana do festival Rock in Rio 2022, realizado no Parque Olímpico, na zona oeste da cidade, nesta sexta-feira. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)
RIO DE JANEIRO, RJ, 09.09.2022 - BIlLY-IDOL: Show do cantor Billy Idol, no palco Mundo, durante o segundo dia do segundo final de semana do festival Rock in Rio 2022, realizado no Parque Olímpico, na zona oeste da cidade, nesta sexta-feira. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Billy Idol contagiou os fãs de pop punk com uma pegada nostálgica e transformou o palco Mundo, do Rock in Rio, numa balada dos anos 1990, na noite desta sexta-feira (9). Mas um dos maiores destaques do show foi mesmo durante "Eyes Without a Face", quando o músico parou o show mais de uma vez para relembrar a letra da canção.

O momento foi de vergonha alheia e deu para notar um constrangimento por parte do vocalista. Ainda assim, ele seguiu com empolgação e carisma.

Abrindo o show com um de seus maiores hits, Idol aqueceu a energia do público com "Dancing with Myself", depois de seis minutos atrasado.

Um dos momentos mais catárticos foi em "Rebel Yell", já ao fim da apresentação. O inglês também aproveitou o show para mostrar sua nova canção, "Cage", que estará num EP com lançamento previsto para setembro.

Steve Stevens, guitarrista de Idol, foi ovacionado em vários momentos, sobretudo durante os solos em que tocou o instrumento sobre suas costas, sem ver o dedilhar das cordas.

Foi com Stevens que Idol conversou durante seu esquecimento da letra de "Eyes Whithout a Face". À medida que ia esquecendo a canção, ele pedia para o guitarrista retornar o som.

Na maior parte do tempo, a voz do inglês soou rouca e isso prejudicou a audição da plateia. Apesar do vocal estridente, a performance do artista não chegou a pecar no mesmo nível que a de Axl Rose, vocalista do Guns N' Roses, que tocou no festival no dia anterior.

Com a memória falha e vocal rouco, o inglês se esforçou para ganhar os fãs com o carisma. "É bom estar aqui de novo", disse Idol, em referência à sua passagem pelo festival, 31 anos atrás.

O inglês cantou trechinhos da trilha sonora do festival, em momentos de interação com o público. Idol desceu do palco para distribuir baquetas aos fãs e cumprimentar algumas das mãos de quem estava colado na grade.

Mas na maior parte do tempo a plateia parecia estar guardando a energia punk rock para gastar mesmo com os músicos do Fall Out Boy e do Green Day.

Depois de ter se encontrado com Supla ontem, que, assim como Idol, tem um cabelo loiro espetado e usa roupas punk, Idol teve um show marcado por alguns fãs gritando o nome do paulistano. Foi uma apresentação cativante, mas como não conseguiu ir além disso, ficará marcada pelo fatídico esquecimento de Idol.