Bill Cosby, preso por estupro, tem liberdade condicional negada

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-ator e comediante Bill Cosby, 83, preso desde 2018 por crimes de agressão sexual, teve sua liberdade condicional negada. Ele iria deixar a prisão obedecendo algumas restrições que seriam impostas pela justiça, segundo o site TMZ.

Cosby teria desrespeitado alguns pontos essenciais para que pudesse ter a liberdade condicional. Ainda segundo o site, o ex-ator não participou de um tratamento para agressores sexuais. Andrew Wyatt, porta-voz do ex-ator, disse que ele não ficou surpreso com a decisão.

Segundo Wyatt, membros do conselho de liberdade condicional já haviam avisado ao comediante que se não se submetesse ao tratamento para agressores sexuais, não teria permissão. No entanto, Cosby acredita que Suprema Corte do Estado da Pensilvânia irá anular a decisão e fazer novo julgamento.

A sentença de Cosby prevê que ele fique preso de três a dez anos. Ele foi acusado de drogar e agredir sexualmente, em 2004, Andrea Constand, uma ex-funcionária de universidade que estudou. O crime aconteceu na casa do ex-ator.

Contra Constand, existem três crimes de agressão. Na época, os advogados de Cosby conseguiram um acordo para juntar as acusações em uma, e assim simplificar a sentença. Além da ex-funcionária da universidade, outras 60 mulheres acusaram o ator de abusos sexuais que teriam acontecido entre 1960 e 2000.