Bibliotecas públicas de Nova York deixam de cobrar multa por atraso

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As três redes de bibliotecas públicas da cidade de Nova York vão deixar de cobrar as multas por atraso na devolução de livros a partir desta terça-feira (5), em uma tentativa de tornar as instituições mais acessíveis.

A barreira passou a ser considerada antiquada pelas bibliotecas, que agora anunciam também a disposição de zerar o saldo das multas dos usuários com dívidas.

Outras cidades dos Estados Unidos, como São Francisco, Chicago, Filadélfia e Dallas, já implementaram a medida. A adesão do sistema de bibliotecas de Nova York é a maior do país.

Para incentivar o público a visitar as bibliotecas e devolver publicações em atraso, as redes vão promover uma semana de eventos e brindes a partir do dia 18 de outubro.

Segundo as instituições, a maior porcentagem de cartões bloqueados pertence a jovens, de 17 anos ou menos, que moram em comunidades de baixa renda.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos