Biógrafo de Philip Roth é acusado de estupro e editora suspende tradução de livro

MARINA LOURENÇO
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A editora Companhia das Letras anunciou, em nota enviada à Folha, que suspendeu a tradução de "Philip Roth: The Biography", livro lançado neste mês sobre carreira e vida de Philip Roth, um dos maiores escritores americanos, em razão das recentes acusações de crimes sexuais contra Blake Bailey, autor da biografia. O surgimento de denúncias contra o autor, publicadas recentemente no blog literário de Ed Champion, acusam Bailey de "aliciamento, estupro, manipulação e agressão sexual". Nesta quarta (21), a editora americana WW Norton interrompeu o envio e venda promocional do livro, como mostrou uma reportagem publicada pelo jornal americano The New York Times, que detalha parte das acusações. “Essas alegações são sérias”, disse um porta-voz da WW Norton, em um comunicado enviado ao Times. “Diante delas, decidimos interromper o envio e a promoção de 'Philip Roth: The Biography', enquanto aguardamos qualquer informação adicional que possa surgir.” Billy Gibbens, advogado do escritor, afirmou em nota que Bailey "discorda da decisão de Norton de parar de promover seu livro". O acusado também nega todas as acusações. De acordo com o Times, ele enviou um email classificando as denúncias como “categoricamente falsas e difamatórias”. A maior parte das acusações contra Bailey são de um grupo de seus ex-estudantes, que tiveram aulas com ele na década de 1990, numa escola de Nova Orleans. Eve Peyton, uma das ex-alunas ouvidas pelo Times, afirma que o escritor a estuprou quando ela era estudante da Universidade de Missouri, em junho de 2003. Segundo Peyton, ela e Bailey haviam saído para beber e, depois, ele a levou para a casa dele, onde teria ocorrido o crime. A ex-aluna diz que o escritor ignorou suas negações ao sexo, a violentou e só parou [de a estuprar] quando ela disse que não usava anticoncepcional. Depois disso, Bailey teria dito ainda que desejava Peyton desde quando ela tinha apenas 12 anos de idade. “Posso garantir que nunca tive sexo não consensual de qualquer tipo, com ninguém, nunca”, escreveu Bailey, no entanto, em email enviado ao Times. “Enquanto isso, apelo à decência. Tenho uma mulher e uma filha que me adoram e dependem de mim, e tal boato, mesmo que seja falso, as pode destruir.” No Brasil, a tradução da obra, que até então seria feita pela Companhia das Letras, foi suspensa nesta quinta. "Dadas as graves acusações de abuso sexual contra Blake Bailey, autor da recém-lançada biografia de Philip Roth, a Companhia das Letras informa que suspendeu a tradução da obra e que está em contato com a editora americana e os agentes literários para se inteirar de mais detalhes", afirma a nota.