Beyoncé lança ‘Black Is King’: “Beleza da ancestralidade negra”

·3 minuto de leitura
Beyoncé lançou 'Black is King' (Reprodução / Instagram @beyonce)
Beyoncé lançou 'Black is King' (Reprodução / Instagram @beyonce)

Beyoncé está de volta e dessa vez mais militante e que nunca. A cantora lançou o filme ‘Black Is King’ na Disney+ e já é um dos assuntos mais comentados nas redes sociais e na indústria.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter

O trabalho começou como um elemento produzido, roteirizado, filmado, dirigido e editado por Beyoncé como complemento da recente versão de ‘O Rei Leão’. “É um projeto de paixão que venho filmando, pesquisando e editando dia e noite durante o ano passado. Eu dei tudo de mim e agora é seu”, revelou.

Leia também

“Tenho como objetivo celebrar a amplitude e a beleza da ancestralidade negra. Nunca poderia imaginar que, um ano depois, todo o trabalho árduo nessa produção serviria a um propósito maior”, começou a explicar a criação.

A cantora revelou que os eventos que já aconteceram em 2020, como o assassinato de George Floyd e Breonna Taylor, além dos protestos antiracistas desencadeados em todo o mundo, mudaram todo o contexto do trabalho.

“Tornaram a visão e a mensagem do filme ainda mais relevantes à medida que pessoas de todo o mundo embarcam em uma jornada histórica. Estamos todos em busca de segurança e luz. Muitos de nós querem mudanças. Acredito que quando os negros contam nossas próprias histórias, podemos mudar o eixo do mundo e contar nossa história real de riqueza geracional e riqueza de alma que não são contadas em nossos livros de história”, ressaltou.

Mãe de três, Queen B. quer levar mais representatividade para o futuro. “Quero apresentar elementos da história negra e da tradição africana, com um toque moderno e uma mensagem universal, e o que realmente significa encontrar sua auto-identidade e construir um legado”, avaliou.

Para o trabalho ela ressalta que precisou de um tempo de pesquisa e aprendizado. “Passei muito tempo explorando e absorvendo as lições das gerações passadas e a rica história de diferentes costumes africanos. Enquanto trabalhava neste filme, houve momentos em que me senti sobrecarregado, como muitos outros da minha equipe criativa, mas era importante criar um filme que incutisse orgulho e conhecimento”, lembrou.

A artista quer marcar o público com a obra. “Espero que você se sinta inspirado a continuar construindo um legado que afeta o mundo de uma maneira incomensurável. Oro para que todos vejam a beleza e a resiliência de nosso povo”, contou.

Ao final ela ainda agrediu à Disney por deixar uma mulher negra liderar esse trabalho. “Esta é uma história de como as pessoas que deixaram a maioria quebrada. têm presentes extraordinários. Essa experiência foi uma afirmação de um propósito maior. Meu único objetivo é que você assista à sua família e que isso lhe dê orgulho”, concluiu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos