Beyoncé faz 41 anos neste domingo; relembre quando ela foi número um

***ARQUIVO*** RIO DE JANEIRO, RJ, BRASIL, 13-09-2013, 23h00: Música: a cantora americana Beyonce, durante show, no palco Mundo, no Rock in Rio 2013, no Rio de Janeiro (RJ). (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
***ARQUIVO*** RIO DE JANEIRO, RJ, BRASIL, 13-09-2013, 23h00: Música: a cantora americana Beyonce, durante show, no palco Mundo, no Rock in Rio 2013, no Rio de Janeiro (RJ). (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma das personalidades mais cultuadas da música pop, Beyoncé Knowles-Carter comemora 41 anos de vida neste domingo (4). Com uma carreira de mais de 25 anos, Queen B -como é conhecida pelos fãs- coleciona inúmeros hits, admiradores, prêmios e conquistas.

A artista nasceu em 1981 em Houston, cidade do Texas, nos Estados Unidos. Desde criança, Beyoncé dava sinais de que a música seria seu caminho. Aos sete anos, venceu um show de talentos cantando "Imagine", música de John Lennon.

Na adolescência, formou junto a colegas o grupo feminino Girl's Tyme, que, posteriormente, mudou de nome e tornou-se o Destiny's Child. O conjunto composto por Beyoncé, Kelly Rowland e Michelle Williams assinou seu primeiro contrato com a Columbia Records em 1996.

Em 2003, Beyoncé lançou seu primeiro disco solo "Dangerously In Love", com sucessos como "Crazy in Love" e "Naughty Girl". Em seguida, lançou "B'Day" (2006), "I Am... Sasha Fierce" (2008), "4" (2011), "Beyoncé" (2013), "Lemonade" (2016), e o mais recente, seu sétimo álbum solo, "Renaissance" (2022).

Em homenagem ao aniversário da artista, o F5 reuniu uma lista de momentos em que Beyoncé foi a número um. Veja abaixo conquistas e recordes que foram marcos na carreira de Queen B.

Beyoncé é mulher mais indicada ao Grammy, com 79 indicações, e também é a artista feminina com mais gramofones da história -são 28 prêmios no total.

A artista fez história na premiação do Grammy em 2021, quando consolidou o recorde. Ela venceu em quatro categorias: melhor clipe por "Brown Skin Girl", melhor canção de rap e melhor performance de rap pelo remix de "Savage", e melhor performance de R&B.

Na edição de 2010, Beyoncé foi a primeira mulher a ganhar seis prêmios em uma única noite. Em 2012, a cantora Adele também alcançou o feito, e as duas dividem o recorde de maior quantidade de prêmios em uma noite para uma mulher.

Um bilhão de streams

Em 2018, ela se tornou a primeira mulher da história a ter três álbuns que superaram um bilhão de streams no Spotify. São eles "4", "I am... Sasha Fierce" e "Beyoncé".

Em 2021, a música "Halo" atingiu um bilhão de streams no Spotify e se tornou a primeira música lançada nos anos 2000 de uma artista feminina a atingir a marca.

Número um da Billboard 200

Seu sétimo disco solo, "Renaissance", estreou no topo da parada de álbuns da Billboard 200, ranking americano de álbuns com mais plays. Com isso, ela foi a primeira mulher a liderar a lista em 2022.

Todos os seus sete álbuns solo estrearam no topo da lista da Billboard, começando com "Dangerously In Love" em 2003.

Primeira mulher negra a ser atração principal no Coachella

Beyoncé também é símbolo de representatividade para o mundo. Em 2018, ela marcou a história do festival Coachella sendo a primeira mulher negra a se tornar atração principal no evento. Os bastidores do show podem ser vistos no documentário "Homecoming" (2020) disponível na Netflix.

A apresentação é lembrada por ter sido um show grandioso, que proporcionou a reunião das Destiny's Child. A edição de 2018 do festival passou a ser apelidada de Beychella, juntando o nome da cantora e do evento.

A artista é a maior vencedora do BET Awards (Black Entertainment Television). Ela possui 66 indicações a prêmios e emplaca 31 vitórias, sendo a única artista a possuir mais de 20 troféus.

Das indicações, 58 vieram por sua carreira solo e oito são indicações pelo grupo musical Destiny's Child. No ano de inauguração da premiação, em 2001, ela ganhou na categoria de melhor grupo feminino e desde então acumulou muitos troféus.