Belo tem cachê penhorado para pagamento de dívida com ex-jogador Denílson

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 13.04.2019: Cantor Belo se apresenta no Tom Brasil com sucessos de sua carreira, das primeiras músicas com o grupo Soweto até os dias atuais, em São Paulo. (Foto: Van Campos/Fotoarena/Folhapress) ORG XMIT: 1714998 ORG XMIT: AGEN1904140136639373

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Belo, 45, teve cachê penhorado para pagamento de dívida judicial, após perder ação que ele mesmo moveu contra o ex-jogador Denílson, 42. O cantor foi condenado a pagar custos processuais da causa —honorários de sucumbência, destinados ao advogado de Denílson—, fixados em 10% do valor da ação.

O processo foi aberto pelo cantor em 2017, quando o comentarista de futebol trouxe à tona no Instagram uma dívida milionária entre os dois. 

"Só falta aprender a pagar quem ele deve", escreveu Denilson em uma publicação do cantor Thiaguinho em que aparece ao lado de Belo. 

O marido de Gracyanne Barbosa entrou com recurso, contestando a penhora do cachê. Segundo a defesa de Belo, o valor é impenhorável por ser considerado salário. O advogado do cantor também entrou com pedido de cancelamento da ordem judicial que bloqueia suas contas bancárias. 

O TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo), entretanto, decidiu que "trata-se de mero percentual de rendimento, que é passível de penhora", e manteve a decisão. A Justiça completou, ainda, que a penhora do valor não é recorrente, já que acaba assim que a dívida for quitada. 

"[Belo] Participa de vários eventos artísticos, e não foram penhorados seus rendimentos em todos os eventos, mas apenas naqueles indicados pelo exequente", assinou a juíza, em 27 de setembro. 

Segundo o UOL, o processo movido por Belo contra Denílson em 2017 tinha valor de R$ 500 mil, o que faz com que os custos processuais custem ao cantor R$ 50 mil. Mas, com multas e correções, hoje o valor está em R$ 74,3 mil.

O comentarista e o cantor se estranham desde que Denílson comprou os direitos da banda Soweto, e Belo, o então vocalista, pediu para sair da banda, sendo processado pelo futebolista por danos morais. A Justiça já havia determinado a penhora dos direitos autorais do artista para pagar uma dívida anterior, de R$ 4,7 milhões, com o ex-jogador.