Belo agradece ex, Viviane Araújo, por apoio na prisão: 'parceira'

Redação
Wilton Junior / Estadão

O cantor Belo falou sobre a importância de sua ex-mulher, Viviane Araújo, durante o período em que ficou preso por conta de seu envolvimento com o tráfico de drogas, em entrevista ao Conversa com Bial da última sexta-feira, 11.

"Sou muito grato por tudo que ela passou, tudo que a Viviane fez na minha vida. Foi um momento tão importante, ela foi tão parceira, tão amiga, sempre esteve ao meu lado em todos os momentos que passei naquela transição de prisão, liberto e tudo mais", afirmou.
Belo, em seguida, concluiu: "Nunca tive oportunidade de fazer esse agradecimento. Nossa vida segue de formas diferentes, mas ficou um capítulo lá atrás, e sou muito grato. Tenho um respeito e um carinho muito grande".

Atualmente, o cantor é casado com Gracyanne Barbosa, que também participou da entrevista a Pedro Bial.
Ainda sobre sua prisão, Belo relembrou: "Foi um episódio triste para a minha vida. Quando isso tudo aconteceu, realmente, eu achei que minha vida tinha acabado de uma forma total."

Relembre como foi a prisão de Belo

Tasso Marcelo / Estadão

Em maio de 2002, o promotor Alexande Murilo Graça, da 34ª Vara Criminal, pediu a prisão preventiva de Marcelo Pires Vieira, nome de bastismo do cantor Belo, além de outras 20 pessoas investigadas pela Polícia Civil por associação para o tráfico de drogas.
Em 6 de abril do mesmo ano, foi divulgada pela polícia do Rio, pela primeira vez, uma gravação de ligações telefônicas do cantor Belo em que ele era acusado de manter relacionamento com traficantes da Favela do Jacarezinho.
Em uma das conversas, o traficante Valdir Ferreira, conhecido como Vado, pedia R$ 11 mil supostamente ao cantor para a compra de 'tecido fino', que seria cocaína, segundo a polícia. Em troca, Belo pediria um 'tênis AR', segundo a polícia, um fuzil AR-15.
A autenticidade da voz de Belo foi confirmada pelo perito Ricardo Molina, da Unicamp, em perícia solicitada pela juíza Rute Viana Lins, da 24ª Vara Criminal do Rio: "Nesse caso, estamos seguros de que a voz do telefonema é de Belo. Todas as comparações feitas levam à conclusão de que é dele a voz".


Wilton Junior / Estadão

Ricardo Hallack, à época delegado titular da Delegacia de Repressão às Acções Criminosas (Draco) afirmou que a divulgação da fita com a conversa grampeada de Belo não foi boa para o planejamento da polícia.
"A divulgação foi precipitada e atrapalhou as investigações sobre a atuação do Comando Vermelho nas favelas do Jacarezinho, do Rato, de Manguinhos e de São João, porque os traficantes pararam de usar o telefone", explicava.
Belo foi indiciado, processado e preso em 5 de junho de 2002, sob acusação de associação para o tráfico de drogas e porte ilegal de armas (da qual seria absolvido posteriormente).
O cantor ficou 37 dias na carceragem da Delegacia anti-sequestro, onde dividiu uma cela de 6 m² com sete detentos, até conseguir um habeas corpus concedido pelo STF para responder em liberdade.
Na manhã de 5 de novembro de 2004, Belo foi preso em sua casa, na zona oeste do Rio de Janeiro.
Na ocasião, ele estava escondido em um quarto com paredes falsas após ter sido condenado a oito anos de prisão em regime fechado pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. A polícia levou cerca de 40 minutos até encontrá-lo.





O julgamento dos recursos do processo deveria ter sido feito em 26 de novembro, mas foi adiado porque o cantor pediu para ser interrogado novamente, o que foi negado pela 8ª Câmara Criminal.
Em dezembro de 2003, a advogada de Belo, Alessandra Herculano, afirmava: "Não sei se o pedido vai ser deferido, mas ainda não foram esgotadas todas as vias de negociação".
Inicialmente prevista para seis anos, a pena subiu para oito. Em nota divulgada pelo Tribunal de Justiça, os desembargadores Flávio Magalhães, Maria Raimunda Azevedo e Ângelo Glioche, que decidiram pelo aumento da pena, explicavam a motivação.
Segundo eles, a decisão foi tomada pelo fato de Belo ser "um ídolo da música popular e sua conduta censurável ter repercutido de forma desfavorável nos admiradores adolescentes que ele costuma atrair em seus shows".


Wilton Junior / Estadão

Em sua primeira noite na carceragem da Polinter, Belo dividiu uma cela com mais de 30 outros presos.
"Ele estava em choque, ainda sob o impacto da prisão", contou um dos três advogados de Belo, à época. Segundo ele, o cantor pediu apenas roupas e cigarros antes de ser preso.
Durante o período em que esteve preso, Belo conseguiu direitos como passar os fins de semana com a família (desde que saísse às 6h e voltasse à prisão às 22h), e até mesmo fazer shows.
Em 2007, Belo conseguiu o direito à liberdade condicional. Após nove meses, porém, foi obrigado a retornar à cadeia, tendo que cumprir a pena no regime semi-aberto após o Ministério Público Estadual recorrer contra a extinção da pena por tráfico.
Em agosto de 2008, a juíza Cristina de Araújo Góes LAjchter, da Vara de Execuções Penais do Rio, aceitou o pedido de liberdade condicional de Belo. Na época, o cantor era mantido em regime semi aberto.



VEJA TAMBÉM: Relembre os artistas que já foram detidos ou presos - como Belo


Em 31 de julho daquele ano, o livramento havia sido suspenso menos de 24 horas após ser concedido, uma vez que a ficha de controle de Belo apontava que, durante a fiscalização, não havia sido encontrado em seu local de trabalho.
Belo foi liberado da pena em 2010, quando ainda teria um ano e quatro meses para cumprir em liberdade condicional, época em que tinha que chegar em casa antes das 23h e pedir autorização da Justiça para shows.
"Ele já pode levar a vida normal. Nada mais a pagar para a Justiça nem para a sociedade. Belo cumpriu sua pena corretamente e teve bom comportamento. Quando contei, ele ficou radiante e chorou", afirmou sua advogada à época, Sandra Almeida.
O traficante Vado morreu em agosto de 2002, após troca de tiro com policiais militares.


VEJA TAMBÉM: Artistas que se odeiam e não fazem a menor questão de esconder - como Belo e Denílson

Veja os artistas que se odeiam - e não fazem a menor questão de esconder isso Veja os artistas que se odeiam - e não fazem a menor questão de esconder isso. MM_AG_PT_ASSET_GROUP_30605 Lívia Andrade e Flor

O clima não ficou nada bom quando as duas participaram do 'Programa Silvio Santos' em julho de 2017. Flor insinuou que Lívia teria subido na carreira por ter tido supostas relações sexuais com o humorista Sérgio Mallandro. 'Muito me admira uma senhora que tem um programa de televisão voltado a donas de casa ter uma visão tão machista de que mulheres precisam ter relações sexuais para subir na vida', rebateu Lívia, indignada; leia mais aqui

Divulgação / SBT MM_AG_PT_ASSET_766243 Carlos Alberto da Nóbrega e Batoré

Carlos Alberto de Nóbrega e Batoré colocaram um ponto final na inimizade, que se arrastava havia 13 anos. O humorista se irritou ao ser demitido do humorístico 'A Praça É Nossa' e culpou o apresentador por sua saída do programa. Neste intervalo, ambos trocaram muitas farpas, mas as diferenças ficaram no passado. Os dois retomaram a amizade no domingo, 5, no palco do 'Domingo Legal', do SBT, e vão voltar a trabalhar juntos. 

Divulgação/SBT | Globo/Cesar Alves MM_AG_PT_ASSET_710260 João Gordo e Dado Dolabella

Ao receber Dado em seu programa de entrevistas, João debochou do disco recém-lançado pelo ator: 'Dando pra você? Dado pra você?'. 'É uma coisa, não sei se você tem cérebro pra entender, de duplo sentido. É 'Dado pra Você''. Em seguida, João fala sobre o perfil de 'comedor' de Dado, que comenta ter 'esquecido' de mostrar algumas coisas. O ator começou a colocar materiais perigosos sobre a mesa, como um machado e uma corrente. 'Você trouxe isso aqui pra que? Pra eu enfiar no seu rabo?', questionou João, já em um clima muito estranho. Eis que Dolabella solta a frase que depois se tornaria meme: 'Tu traiu o movimento'. 'Ah, vai tomar no seu... Quem é você, playboyzinho de m***'', revidou João Gordo. Dado quebrou a mesa de vidro, e os dois levantaram, ele com um machado, Gordo com uma corrente. As ameaças e ofensas continuaram, e o programa precisou ser interrompido.
 

FELIPE RAU/AE | Antonio Chahestian/REDE RECORD /DIVULGACAO MM_AG_PT_ASSET_710355 Rafinha Bastos e Wanessa Camargo

Após uma reportagem em que a cantora aparecia, o apresentador do CQC, Marcelo Tas, comentou: 'Gente, que bonitinha que está a Wanessa Camargo grávida'. Em resposta, o humorista soltou a conhecida frase: 'Comeria ela e o bebê'. O caso foi parar na Justiça, e foi decisivo para a demissão de Rafinha da Band. De maneira indireta, o episódio virou novamente piada na série 'A Vida de Rafinha Bastos'. Vanessa chegou a afirmar que doaria os R$ 150 mil da indenização; leia mais aqui

 

Tiago Coelho/Divulgação | DENISE ANDRADE/ ESTADÃO MM_AG_PT_ASSET_710357 Felipe Neto e Silas Malafaia

O desafeto entre Felipe Neto e Silas Malafaia vem de outros carnavais, mas ganhou um novo episódio nesta semana. O youtuber fez uma ação contrária à tentativa de boicote à Disney, promovida pelo pastor, que não gostou de ver uma cena de beijo entre dois rapazes na animação 'Star vs. as Forças do Mal'. Neto quer usar seu poder nas redes sociais para promover todas as empresas que conseguirem irritar Malafaia. Ou seja, publicidade gratuita para quase 10 milhões de pessoas.

Globo/Divulgação | Ueslei Marcelino/Reuters MM_AG_PT_ASSET_710263 Leo Dias e Danielle Winits

O barraco entre Leo Dias e Danielle Winits parou a internet na primeira semana de 2017. Tudo começou por causa de uma notícia que o apresentador do SBT publicou em sua coluna no jornal O Dia, dizendo que a atriz havia tentado furar a fila de embarque no aeroporto alegando estar grávida. Ela foi ao Instagram para desmentir, e o chamou de mentiroso. Leo não gostou do que viu e mandou a frase: 'Liga o ventilador!'. Na sequência, uma série de histórias e acusações sobre os antigos relacionamentos da atriz, que despertou a ira de André Gonçalves, atual marido de Dani, que até publicou vídeo ameaçando quebrar os dentes do jornalista. Tenso!

www.instagram.com/euleodias | Globo/Artur Meninea MM_AG_PT_ASSET_710259 Rafael Cortez e Paulinho Vilhena

Quando o repórter do CQC se aproximou de Paulinho em um evento de moda, o ator estava com cara de poucos amigos. Após uma brincadeira, Cortez disse que os homens precisavam ser mais 'machos', e não se importar tanto com a beleza. 'Você acha?', respondeu secamente o entrevistado. Cortez continuou: 'Qual a coisa mais macha, ogra, que a gente pode fazer agora? Um arroto, cutucar o nariz, uma escarrada...'. 'Podia cuspir na sua cara!', respondeu. 'Manda!', brincou Rafael Cortez, antes que o ator cumprisse o prometido, e lhe disparasse uma cusparada.
 

Antonio Chahestian / Record / Divulgação | Ernesto Rodrigues / AE MM_AG_PT_ASSET_710364 Naya Rivera e Lea Michele

Houve um momento em que os fãs de Glee chegaram a acreditar na amizade entre Rachel e Santana, que se fortaleceu a partir da quarta temporada. O problema é que Lea Michele e Naya Rivera, intérpretes das personagens, passaram a se desentender quando a segunda começou a ganhar mais espaço na história, diminuindo o protagonismo da primeira. Na reta final das gravações, elas não se olhavam na cara e só dirigiam a palavra quando o roteiro as obrigava.

Divulgação/Fox MM_AG_PT_ASSET_710261 Bette Davis e Joan Crawford

A inimizade entre Bette Davis e Joan Crawford começou na década de 1930 e movimentou Hollywood por muito tempo. Neste ano, a história da complicada relação das atrizes será explorada na série Feud, de Ryan Murphy. Eram muitos os motivos para o ódio mútuo. As disputas envolviam bons papéis, prêmios e até homens. O ápice da briga ocorreu no início dos anos 1960, quando filmaram 'O que Terá Acontecido a Baby Jane?'. Ambas aproveitaram as cenas do script para se agredirem fisicamente.

Divulgação MM_AG_PT_ASSET_710262