Bebê de 9 dias morre em acidente de carro com motorista bêbado

Mãe estava amamentando a filha quando o carro foi atingido por outro veículo. (Foto: Arquivo pessoal)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Ela estava no carro para não se assustar com barulho de fogos no Ano Novo, conta pai

  • Motorista que bateu no veículo estacionado é PM e estava embriagado

Um acidente de carro no réveillon em Itatiba (SP) causou a morte da recém-nascida Viviane Sodré da Silva, de apenas 9 dias de idade. Ela estava com a mãe e a irmã de 3 anos dentro de um carro estacionado quando, de repente, um bombeiro militar bêbado bateu o veículo contra o delas. A Justiça decretou a liberdade provisória de Robson Fabiano Gabriel.

Ao portal de notícias G1, o pai da criança contou que as três foram até o carro, estacionado na porta da casa da família, para que a bebê não se assustasse com o barulho dos fogos de artifício. Juliano Chavier da Silva relatou que a mãe estava amamentando a pequena para acalmá-la quando o veículo foi atingido na parte traseira.

O motorista foi preso em flagrante por dirigir embriagado e chegou a ser levado ao Presídio Militar Romão Gomes, em São Paulo, mas foi liberado após pagar fiança de R$ 4 mil. De acordo com o Tribunal de Justiça, a liberdade provisória foi concedida a durante a audiência de custódia mediante o compromisso de comparecimento a todos os atos e termos do processo.

O motorista do outro carro era cabo e atuava no Corpo de Bombeiros em Campinas (SP). Uma equipe da PM atendeu a ocorrência e constatou sinais de embriaguez no policial militar, que foi detido.

A bebê estava no carro para não se assustar com os fogos de artifício (Foto: Arquivo pessoal)

De acordo com o pai, o policial bateu primeiro em outro carro estacionado na mesma rua, e depois atingiu o carro onde estavam sua esposa e filhas. As três foram socorridas e levadas à Santa Casa de Itatiba.

A mãe não ficou ferida, e a filha mais velha sofreu uma lesão na testa. Já a bebê bateu a cabeça no para-brisa e chegou a passar por uma cirurgia, mas não resistiu.

No boletim de ocorrência registrado antes da morte de Viviane, consta que o motorista vai responder por lesão corporal culposa (quando não há intenção de machucar a vítima) na direção de veículo automotor, além de embriaguez ao volante.