Ao batizar seu filho de George, Kate e William optam pela tradição

Por Denis HIAULT, Jacques KLOPP
O bebê receberá o tratamento de Sua Alteza Real Príncipe George de Cambridge

Kate e William respeitaram a tradição nesta quarta-feira ao batizar seu filho de George, em uma escolha para agradar a rainha Elizabeth II, os historiadores e os apostadores.

"O duque e a duquesa de Cambridge têm o prazer de anunciar que chamarão seu filho de George Alexander Louis", indicou o Palácio no final da tarde, acrescentando que "o bebê será conhecido pelo nome de Sua Alteza Real Príncipe George de Cambridge".

Garantia de continuidade para a monarquia, segundo os historiadores, o nome George faz parte de uma longa linhagem real.

Se um dia chegar ao trono e decidir conservar seu nome, o recém-nascido, terceiro na linha sucessória ao trono, será o sétimo George a reinar.

George I, de origem alemã, foi o primeiro representante da Casa de Hanover coroado rei da Inglaterra e da Irlanda em 1714.

George VI, falecido em 1952, era o pai da atual soberana Elizabeth II. Seu nome era Albert e era chamado de "Bertie" em família. George era na realidade apenas seu quarto nome.

Santo padroeiro da Inglaterra, George é considerado um símbolo de honra e bravura, sem deixar de representar uma certa modernidade. Muito utilizado no início do século XX, o nome continua entre os vinte mais populares do Reino Unido.

Já Louis é uma homenagem a Louis Mountbatten, último vice-rei da Índia britânica, morto em um atentado do IRA em 1979.

Quanto a Alexander, o cronista real da BBC acreditava que fosse o nome preferido de Kate. Alexandra é o segundo nome da rainha Elizabeth. Era também o primeiro da imperatriz que reinou com o nome de Victoria.

George era o nome mais cotado nas casas de apostas após o nascimento do bebê real. Aliás, os apostadores foram certeiros, já que os cinco nomes favoritos eram, na ordem, George, James, Alexander, Richard e Louis.

Como de costume, vários George virão ao mundo nas maternidades britânicas nos próximos meses.

O suspense em torno do nome do príncipe de Cambridge durou "apenas" 48 horas.

Foram necessários uma semana para a revelação do nome de William, nascido em 1982, e um mês para o de seu pai, o príncipe Charles, nascido em 1948.

Kate e William comunicaram sua escolha algumas horas depois de chegarem a Bucklebury, a casa dos parentes de Kate, onde eles devem passar os próximos dias.

Depois de ter apresentado seu filho ao mundo na terça-feira, o jovem casal passou sua primeira noite no palácio londrino de Kensington, onde recebeu a visita da rainha.

Sem a companhia do seu marido, o príncipe Philip, que se recupera de uma cirurgia no abdômen, a rainha, que deve sair de férias em breve para o norte da Escócia, deixou o palácio apenas meia hora depois.

Esse encontro histórico foi o primeiro em 120 anos entre um monarca no poder e o aquele que será o terceiro a sucedê-lo. Na última vez em que isso aconteceu, em 1894, houve o encontro entre a rainha Victoria e seu tataraneto, o futuro Edward VIII.

Pippa Middleton, a irmã de Kate, e o príncipe Harry, irmão de William, que caiu para a quarta posição na linha sucessória ao trono com a chegada do bebê real, também compareceram ao palácio para felicitar os pais.

A duquesa havia anunciado o seu desejo de passar suas primeiras semanas de maternidade com seus pais na mansão de Bucklebury, em Berkshire, 80 km a oeste de Londres.

É nesta casa confortável, onde o casal já havia passado os últimos dias antes do nascimento, que Kate e William querem "conhecer mais o seu filho, com calma", segundo um porta-voz do palácio.

Fontes reais indicaram que Kate ainda não manifestou a vontade de recorrer a uma babá. Ela terá a ajuda de sua mãe Carole em suas novas tarefas.