BBB19: Polícia abre inquérito para investigar intolerância religiosa e racismo na casa

Foto: TVGlobo/Victor Pollak

A essa altura do campeonato, você provavelmente deve estar cansado das falas polêmicas de alguns brothers da BBB19. Mas desta vez parece que as coisas passaram do limite. A Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância do Rio de Janeiro informou que está apurando as declarações de cunho preconceituoso que rolaram durante o confinamento.

Receba no seu Whatsapp as novidades sobre o mundo dos famosos (e muito mais)

“Foi Instaurado inquérito para apurar o ocorrido. As investigações estão sob sigilo”, diz a nota divulgada pelo jornal “Extra”. Nem precisamos te dizer que Maycon e Paula estão na linha de frente quando o assunto é quem pode ser afetado pelas investigações, né?

O vendedor de queijo afirmou “sentir algo muito estranho” ao ver Rodrigo e Gabriela dançando “Identidade”, do cantor Jorge Aragão: “Estava comendo aqui nessa cadeira, de boaça. E estavam o Rodrigo e a Gabi… Eu olhei para os dois num sincronismo legal, juro por Deus que achei legal… Aí comecei a olhar e escutar uns negócios, tipo ‘não faça igual a eles’”, disse Maycon, citando Jesus em sua frase.

Leia mais: Alan, Diego, Isabella estão no paredão

Paula também não passa um dia sem fazer algum comentário racista. A sister até mesmo já disse ter medo das religiões africanas: “Tenho muito medo do Rodrigo. Ele fala o tempo todo desse negócio de Oxum deles lá, que ele conhece. Eu tenho medo disso, mas nosso Deus é maior”, afirmou.

Em contato com a Globo, a emissora afirma que não foi notificada sobre o inquérito e fez questão de pontuar que “respeita a diversidade, a liberdade de expressão e repudia com veemência qualquer tipo de intolerância e preconceito, em todas as suas formas”.

“Desde 2016 a emissora mantém no ar a campanha ‘Tudo começa pelo Respeito’, em parceria com UNESCO, UNICEF, UNAIDS e ONU MULHERES, que atua na mobilização da sociedade para o fortalecimento de uma cultura que não apenas tolere, mas respeite e discuta amplamente os direitos de públicos vulneráveis à discriminação e ao preconceito. Desta forma, é importante reiterar que qualquer manifestação pessoal, equivocada ou não, feita pelos participantes do programa, não reflete o posicionamento”, diz a nota.

O racismo é considerado crime no Brasil desde 1989. A acusação de injúria racial pode ser aplicada quando a honra de alguém é ofendida por causa da raça, cor, etnia, religião ou origem. Estamos de olho!

Veja a seguir: O estilo das sisters no BBB19: com qual você se identifica?