"BBB" não terá a final dos sonhos, mas a que merece: "O Brasil tá lascado”

Colaboradores Yahoo Vida e Estilo
·4 minuto de leitura
Após 100 dias,
Após 100 dias, "Big Brother Brasil 21" chega ao fim (Foto: Reprodução/TV Globo)

Por Izabel Accioly (@afroantropologa)

E chega ao fim o programa de entretenimento mais comentado do país, "Big Brother Brasil". Fiuk, Camilla e Juliette chegam ao pódio após 100 dias de programa e trajetórias de brigas, flertes, chatices, choros, mas muitas, muitas risadas. Foram dias intensos, mas apesar de todas essas oscilações, Camilla de Lucas surpreendeu sendo o ponto de lucidez da casa. Digital influencer conhecida por divertir nas suas redes sociais mostrou que além do jeito brincalhão, é uma mulher sensata e mediadora.

“Muito prazer, Camilla de Lucas”

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Um dos pontos altos do programa foi sua dupla com João Luiz. A sintonia entre os dois era marcante e os VTs em que eles aparecem apresentando um programa de TV imaginário são hilárias. Há quem ache que Camilla foi planta na casa e, realmente, no início ela não esteve envolvida nas maiores tretas. Entretanto, quando João sofreu racismo, Camilla se posicionou para defende-lo. Nesse sentido, a trajetória dela faz lembrar bastante a de Thelminha, vencedora da última edição, que soube muito bem que quais brigas deveria entrar ou não.

Leia também

“Infelizmente quem causa isso tudo são os homens brancos privilegiados. Somos nós"

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Azarão da temporada, Fiuk foi ficando na casa enquanto o público tirava do jogo suas prioridades. Entre lágrimas e cigarros, o cantor foi se mantendo no jogo, apesar de não ter uma torcida tão expressiva e estar sempre sendo alvo de memes nas redes sociais que apontavam a sua apatia, vícios e choros, muitas crises de choro. O romance morno com Thaís também não empolgou o público.

Na reta final do programa, Fiuk se mostrou mais leve, principalmente por conta dos flertes divertidos com Juliette, com quem tem um relacionamento do tipo gato e rato. Mas não escapou dos memes relacionados a sua suposta crise financeira.

“Se chorar é vítima. Se falar, é braba. Se chorar, é vulnerável. E se gritar, é barraqueira... E se falar alto, é surda. Aqui é assim"

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A trajetória de Juliette foi marcada pela xenofobia desde o início. Seu sotaque e o jeito foi alvo de risadas desde os primeiros dias do programa. De certa forma, isso marcou o modo como a sister jogou ao longo do 'BBB', a todo momento ela tentava se explicar, lutava para se fazer entender. Juliette não mandava recado, em muitos momentos seu modo de falar assertivo e sua coragem em tirar a limpo o que lhe faziam foi classificado como bravo. Desde aquele momento o público a acolheu, como acontece desde a primeira edição, com participantes que são injustiçados. Além disso, o jeito expansivo, engraçado e sincerão foram componentes importantes para que Juliette tivesse uma torcida tão volumosa aqui fora.

Os cactos, como ficou conhecida a torcida de Juliette, são outro ponto muito relevante dessa edição. Impossível não mencionar a força que essa torcida tem, inclusive por eliminar quem, segundo Tiago Leifert, foi o maior participante do programa: Gil do Vigor.

"Eu não vim do lixo pra perder pra basculho!"

Intenso, engraçado, explosivo, incoerente. A eliminação de Gil do Vigor deixou muitos fãs “indignados”. Dono dos melhores bordões do 'BBB 21' como: “Ai, meu Deus!”, "tchaki tchaki" e "cachorrada", Gil do Vigor ficou de fora da final, mas dentro do coração do público do programa. Ao longo do programa, Gil cativou o público com sua energia caótica e seu jeito muitas vezes incoerente. Gente como a gente, humano, se doou por inteiro e viveu todas as emoções que o BBB pode lhe oferecer.

Apesar de ser um dos favoritos, foi eliminado e não esteve sequer no top 3. Destino semelhante ao de Babu, participante do "BBB 20". A torcida de Gil apontou que Fiuk, brother com pouca relevância e carisma, não deveria estar na final. Outra coisa que intriga é o fato de Camilla de Lucas, apesar de seu carisma e de não ter nenhum comportamento condenável ao longo do programa, não ser considerada uma das favoritas ao prêmio.

De certa forma, o "BBB" reflete a sociedade e o modo como as pessoas sentem e pensam. Grande parte do público via Gil, Camilla e Juliette como a final dos sonhos. Entretanto, se o programa é reflexo da vida, que lembremos que ela não é justa. Certamente, esta não é a final que o Brasil sonhou, mas é a final que o Brasil merece. Afinal, como diria Gil do Vigor, “o Brasil tá lascado”!