BBB23: Cezar chora em desabafo contra menosprezo ao trabalho dos enfermeiros

Ele ouviu um comentário de Fred Nicácio, que é médico, sobre a atuação de enfermeiros

Cezar chorou ao falar sobre usa profissão (foto: reprodução/globoplay)
Cezar chorou ao falar sobre usa profissão (foto: reprodução/globoplay)

Resumo da Notícia:

  • Big Brother Brasil 23 começou com 22 participantes

  • Cezar abriu o coração ao falar sobre um ponto delicado de sua profissão

  • Ele ouviu um comentário de Fred Nicácio, que é médico, sobre enferemeiras

Os ânimos no Big Brother Brasil 23 já estão se exaltando nesta quarta-feira (18). Durante uma D.R. da dupla Cezar Black e Domitila Barros, o baiano caiu no choro ao relembrar como a Enfermagem, sua profissão, é invisibilizada até por parceiros de trabalho, como médicos.

O vídeo, que já está viralizando nas redes sociais, é uma resposta de Cezar a um comentário que ouviu do médico e apresentador Fred Nicácio. Na ocasião, Nicácio relatava um episódio em sua vida, quando ainda atuava como fisioterapeuta.

“Um dia, vi um médico entubando, e disse: 'Eu queria fazer isso aí'. E daí, uma enfermeira branca disse: 'Sai daí, menino, isso aí é só pra médico'. Tá bom. Sete anos depois, amor, voltei lá, e ela foi minha enfermeira. ‘É, tô aqui, doutor Fred Nicácio, e aí? Agora eu vou entubar e você vai me ajudar’. Porque a gente trata racista assim, expondo, porque quem criou o constrangimento que lide com ele”, disse o médico.

Enfermeiro, especializado em UTI neonatal, Cezar se sentiu ofendido com o comentário e reproduziu a fala de Fred Nicácio. “‘Aí depois virei médico e ela tinha que me auxiliar’. Para a gente (enfermeiros), isso é super ofensivo. Brigamos todos os dias sobre isso na nossa classe”, disse às lágrimas em conversa com sua dupla, Domitila Barros.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Ele reforçou que a enfermagem acompanha o paciente em todos os momentos de cuidados de saúde. “Você nasce hoje, o médico te entrega pra o enfermeiro. Nós que cuidamos, limpamos, pesamos e entregamos de volta para a mãe. Se você morre em uma UTI, internado, sofrendo, quem prepara o seu corpo é a enfermagem. Nós somos a primeira passagem, quando a pessoa vem ao mundo, e a última. Trabalhamos mais que todas as outras. Nossa classe não é reconhecida. A gente briga todos os dias para entrar lá”, discursou.

Durante a pandemia de Covid-19, profissionais de enfermagem foram menosprezados e precisaram se unir para buscar condições dignas de trabalho frente à emergência sanitária. Com o apoio do senador Fabiano Contarato (PT/ES), aprovaram o piso salarial para a classe e hoje lutam para que ele seja aplicado em todo o país.