Pyong não pode hipnotizar o público para vencer o 'BBB', diz expert

Pyong Lee é hipnólogo e pode se beneficiar no 'BBB 20' por causa da técnica, diz especialista (Foto: Reprodução/TV Globo)

Pyong Lee, do ‘Big Brother Brasil 20’, virou assunto nas redes sociais mais uma vez nesta terça-feira (3). O emparedado, que disputa a permanência na casa com Gizelly e Guilherme, fez Ivy enxergar a figura do filho pequeno em Gabi durante uma sessão de hipnose na madrugada.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus emails em um só lugar

E nos siga no Google News: Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

Além de induzir o momento comovente, o hipnólogo também fez alguns brothers esquecerem seus próprios nomes por um curto período de tempo. Após as demonstrações de Pyong, o público questionou se ele é capaz de hipnotizar pela televisão para vencer o reality show ou até mesmo impor sua visão de jogo dentro do confinamento com as suas habilidades. Em conversa com o Yahoo, a psicóloga e especialista em hipnose clínica Miriam Pontes de Farias garante que não.

Leia também

“Pyong não consegue hipnotizar o público e nem seus colegas participantes se eles não tiverem dispostos. A ideia de que uma pessoa tem poderes sobre outra é um mito, uma fantasia. Só entra em estado de hipnose quem quer. E se uma sugestão contraria os valores da pessoa, ela acorda do transe na hora”, garante a hipnóloga que é professora e palestrante internacional. Segundo Miriam, apenas a personalidade e as atitudes do youtuber poderão mantê-lo no programa.

A hipnose gera curiosidade e é um tabu na nossa sociedade. “Trata-se de uma ciência. Tem a ver com o funcionamento do cérebro, neurofisiologia, e não com religião como muitos ainda acham”, afirma. Abaixo, contamos o que é a hipnose e como ela pode beneficiar Pyong dentro do ‘BBB’:

O que é a hipnose?

“É um estado intermediário entre o sono e a vigília, uma atenção concentrada”, explica Miriam. Quando alguém é hipnotizado, é levado ao foco extremo: a pessoa ignora os estímulos do exterior como se estivesse anestesiada e tem sensações de acordo com as sugestões do hipnólogo naquele momento, que podem ser palavras, o estalar dos dedos, músicas e outros ritmos.

A técnica estimula o cérebro e é capaz de aliviar dores, diminuir a ansiedade, aumentar a capacidade de concentração e até alterar os sentidos, como aconteceu com Ivy. “Sabia que não era o meu filho, mas senti como se fosse. Comecei a criar ele: rosto, nariz, boquinha... Eu vi o semblante dele, senti o toque, o abraço”, relata a sister após voltar da experiência induzida por Pyong.

Pyong hipnotiza Ivy no 'BBB 20' (Foto: Reprodução/TV Globo)

“O confinamento deixa os participantes emocionalmente fragilizados. A Ivy estava ‘faminta’ por aquele momento e o Pyong deu os estímulos para que ela tivesse uma experiência boa. O cérebro não faz distinção do que é real ou imaginário no momento do transe. Ela realmente esteve com o filho”, diz Miriam Farias. E ao contrário do que muitos podem imaginar, uma pessoa também não pode ficar presa para sempre no transe. “É igual dormir... Uma hora você acorda”, compara a psicóloga.

A especialista ainda lembra que existem duas formas de usar a hipnose: em demonstrações técnicas e instantâneas como Pyong fez com os brothers e a clínica, em que os psicólogos habilitados aplicam o método para o tratamento emocional.

Pyong e a auto-hipnose

O brother não é capaz de entrar na mente dos seus adversários, aliados ou do público, mas pode fortalecer seu autocontrole por meio da auto-hipnose. “É um diferencial para o Pyong. Ele vai se manter mais calmo, equilibrado e focado enquanto o estresse aumenta a cada dia na casa”, explica Miriam. A professora conta que a técnica é semelhante com a da meditação. “Em um canto tranquilo, ele se concentra e dá comandos para si mesmo. A auto-hipnose vai ajudá-lo a lidar melhor com a pressão e, por isso, o Pyong acaba sendo um forte candidato ao prêmio”, avalia a especialista.