'BBB 20': como é a sensação de entrar na casa do 'Big Brother'?

André Carlos Zorzi
Victor Pollak / Globo / Divulgação

O BBB 20 estreia nesta terça-feira, 21, após a novela Amor de Mãe, com 18 novos participantes. Antes de eles conhecerem a casa, a Globo abriu-a para que jornalistas e influenciadores digitais pudessem sentir um pouco como é participar do Big Brother Brasil na tarde da última sexta-feira, 17.
Chamado de BBB Experience, o evento reuniu ao todo 19 pessoas, que foram até os estúdios da Globo, no Rio de Janeiro. O E+ estava presente.
Antes de entrar na casa, recebemos as boas-vindas de Rodrigo Dourado, diretor do programa. Em seguida, entrarmos em grupos formados por três ou quatro pessoas de cada vez.

Ficamos confinados por apenas algumas horas dentro da casa do Big Brother, então tudo era 'novidade'. Não deu tempo para sentir o tédio, a falta do 'mundo externo' e sequer dos celulares e redes sociais - que foram 'confiscados' apenas em alguns momentos. E, principalmente, não precisamos passar pela experiência de utilizar um vaso sanitário com uma câmera ligada apontando para você.

VEJA TAMBÉM: BBB 20 - conheça os novos participantes do Big Brother Brasil


Mesmo assim, já dá para imaginar a sensação de dividir uma casa - lotada, no princípio do programa - com pessoas que você não conhece e que estão lá disputando o mesmo prêmio que você. Sem R$ 1,5 milhão em jogo no BBB Experience, porém, o clima provavelmente era mais harmonioso que no programa.

As câmeras e microfones estão realmente por todos os lugares, mas, nas poucas horas em que estivemos por lá, em alguns momentos já mal nos dávamos conta de que estávamos sendo vigiados.

Ao entrar sozinho em um quarto e ouvir o barulho do movimento de uma câmera, por exemplo, é difícil 'esquecê-la'. Já em locais mais amplos ou com mais pessoas a sensação de vigilância acaba sendo menor.

VEJA TAMBÉM: BBB 20 - veja fotos da casa do Big Brother Brasil


Em relação aos microfones, um certo peso na região da cintura acaba incomodando um pouco em alguns momentos, mas o mifrofone que se parece como um colar e fica junto ao pescoço passa praticamente imperceptível.

Após ouvir a voz de Tiago Leifert ecoando pela área externa, passamos por uma experiência que simulava uma prova do BBB, com o grupo reunido e perguntas de "verdadeiro ou falso", todas relacionadas à nova edição do programa.

Como 'prêmio' pelo bom aproveitamento (quatro acertos e um erro), fomos liberados a entrar na parte interna da casa - porém, sem os celulares, que foram recolhidas por um dos 'dummies', funcionários da produção que costumamos ver durante as provas na TV, que se vestem de forma característica para não serem identificados ao interagir com os brothers.

Victor Pollak / Globo / Divulgação

Lá dentro, algumas portas permanecem trancadas, já que servem mais para a própria produção do programa, ou para momentos específicos.
No confessionário, há um grande espelho em frente à cadeira na qual os participantes dão seus votos. Abaixo, uma câmera, para a qual eles devem olhar quando se comunicam com o apresentador.

Quando estava no local, onde só se podia entrar uma pessoa por vez, fui surpreendido com a voz de Tiago Leifert me chamando pelo nome. Em 2020, o confessionário traz diversos objetos com referência às edições anteriores do programa.

VEJA TAMBÉM: BBB - fatos inusitados do Big Brother que você não se lembrava


Apesar de rápido, o momento deve ter um impacto maior para os confinados, afinal, raramente têm a chance de se comunicar com alguém do 'mundo fora da casa', e, ainda por cima, sem os companheiros de casa estarem ouvindo.
Os influenciadores ensaiaram uma rodinha na sala em que cada um se apresentava, como é de praxe no BBB.
O momento é um desafio para que o participante pareça interessante a ponto de despertar a simpatia e a curiosidade tanto de seus companheiros quanto do público - sem, é claro, soar 'forçado'.

VEJA TAMBÉM: BBB - Veja como estão participantes marcantes do Big Brother atualmente


Os influenciadores também simularam algumas 'brigas', discussões e até votos para o paredão.
Por uma pequena fresta na porta da cozinha, já era possível ver que alguns balões haviam sido colocados do lado de fora da casa, assim como a iluminação estava diferente. Também dava para ouvir música vinda da parte externa, sinal de festa.
No momento mais animado, também entraram na casa as ex-BBBs Ana Clara (da família Lima do BBB 18), Vivian Amorim (BBB 17) e Fernanda Keulla (BBB 13), que trabalham na cobertura do Big Brother Brasil para as redes sociais.

VEJA TAMBÉM: Big Brother Brasil - veja os participantes eliminados com as maiores rejeições


Após aproveitarmos alguns comes e bebes e últimos vídeos e fotos dentro da casa, Leifert avisou que era hora de sairmos de lá. Boa parte do grupo ainda aproveitou para pular na piscina e entrar na jacuzzi ao lado. O apresentador precisou reiterar o pedido de saída por mais algumas vezes até ser atendido.

A casa do BBB

Talvez, para o público em geral, a casa seja um pouco menor do que parece na TV. No BBB Experience, entramos por uma grande porta, a qual a produção chama de 'garagem'. Logo à esquerda, estava o Big Fone, e, à direita, o quarto do líder - trancado.
No gramado, uma novidade: a calçada da fama do BBB, com o nome dos vencedores de todas as edições do programa espalhados em 20 azulejos estrelados - o BBB 20, é claro, ainda consta como uma interrogação. Ao lado da calçada, fica a porta pela qual os brothers são eliminados do programa.

VEJA TAMBÉM: O que os campeões do BBB fizeram com o dinheiro do prêmio


A área externa da casa é bastante grande, e uma das partes que mais chama a atenção é o local com os varais onde os brothers estendem as roupas, acessado após subir uma escada 'caracol'.

André Carlos Zorzi / Estadão

Apesar de um 'fundo falso' representando alguns morros, nem tudo é coberto e, acima da parede mais alta, ainda é possível ver parte da mata em morros de verdade, o que deve aumentar um pouco a sensação de que se continua no 'mundo real' após algum tempo de confinamento.

André Carlos Zorzi / Estadão

Como é de se esperar, tudo é amplamente iluminado - mesmo que ainda fosse de dia - e repleto de câmeras e microfones. Durante a visita, praticamente não havia insetos pelo local. Talvez, à noite, eles surjam por conta da grande quantidade de luzes.

Em geral, as poltronas e camas são confortáveis. Não deu tempo de dormir, mas foi possível deitar nelas. Materiais como pratos, copos e utensílios de cozinha parecem de boa qualidade.

Em 2017, o E+ também conheceu a sede de outro reality show, A Fazenda, da Record TV. Clique aqui para relembrar como foi a experiência.

VEJA TAMBÉM: 10 bizarrices que aconteceram no BBB