Bateria de "surdo sem resposta" tem cria do morro como rainha

·1 min de leitura

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Sob a regência do mestre Wesley Assunção, 250 ritmistas formam a bateria da Mangueira, que mantém a tradição de levar à regência apenas ritmistas formados na escola.

É o terceiro ano de Wesley à frente da bateria, conhecida pelo famoso "surdo sem resposta" - em vez de uma marcação de ritmo alta e outra baixa nos surdos (TUM-tum), tem-se apenas a alta (TUM).

A rainha de bateria Evelyn Bastos, 28, é formada em Educação Física e História. Nascida na Mangueira, escola em que desfila desde menina, Evelyn é filha de Valéria Bastos, também rainha de bateria da agremiação entre 1987 e 1989.

"Nunca na minha vida pude imaginar que seria rainha de bateria saudando Cartola, Jamelão e Delegado", disse Evelyn antes de entrar na Avenida.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos