Batalha judicial entre Angelina Jolie e Brad Pitt por vinícola ganha novo capítulo

Brad Pitt e Angelina Jolie - Reprodução credit:Bang Showbiz
Brad Pitt e Angelina Jolie - Reprodução credit:Bang Showbiz

Angelina Jolie alegou que o plano de seu ex-marido, Brad Pitt, sempre foi o de "tomar posse" dos negócios que os dois tinham juntos, principalmente da famigerada vinícola Château Miraval.

A atriz, de 47 anos, está em uma nova batalha judicial contra o ex, tendo que prestar esclarecimentos sobre a venda de suas ações no Château, já que Brad alega que Jolie vendeu sua parte da propriedade sem o seu consentimento.

A revista People teve acesso aos documentos do processo, que aparentemente afirmam que atualmente o negócio tem uma lista de "reformas sem sentido" sendo feitas pelo astro.

Os advogados de Angelina afirmam que Brad está causando danos em virtude de

seu "comportamento descontrolado".

O processo entre os artistas ainda inclui que Angelina negociou durante meses com o ator de 'Clube da Luta' para lhe vender sua metade da vinícola, mas que Brad sempre apresentou demandas de última hora por condições irrelevantes, incluindo uma cláusula destinada a proibir Jolie de falar publicamente sobre os eventos que levaram ao rompimento do casamento.

De acordo com a People, Angelina nunca esteve disposta a concordar com a cláusula de “silenciamento” e, por isso, vendeu sua parte para a Tenute del Mondo, uma subsidiária do Stoli Group, em outubro de 2021.

Ainda no mesmo processo, Brad acusou Angelina de prejudicar a reputação do negócio de vinhos ao vender sua metade para um “estranho”.

O ator também afirmou que Angelina não contribuiu em “nada” para o sucesso de Miraval.

Mas a nova estratégia da equipe jurídica de Angelina é acusar Brad de “gaslighting”.

“Pitt deveria se olhar no espelho porque é ele, e não o Stoli Group, quem carrega o peso de prejudicar a empresa, são as notícias e fofocas recentes sobre eles que atrapalham os negócios do Château Miraval”, comentou a equipe da estrela.