Barcos naufragados da 1ª Guerra Mundial são museu no fundo do mar na Turquia

·1 minuto de leitura

Por Yesim Dikmen e Mehmet Emin Caliskan

SEDDULBAHIR, Turquia (Reuters) - O novo parque da Turquia é um museu subaquático com 14 barcos naufragados sob o Estreito de Dardanelos, um vislumbre das ferozes batalhas entre as forças otomanas e aliadas na Primeira Guerra Mundial.

O fotógrafo turco Savas Karakas foi um dos primeiros a embarcar em um barco e mergulhar quando o parque abriu neste sábado. Lá, disse, ele conseguiu se reconectar com seu avô que havia lutado na campanha de Galípoli em 1915.

"As mãos do meu avô foram desfiguradas e queimadas em ação, e eu sempre tive medo delas", disse Karakas, que vive em Istambul e cujo nome significa guerra, após a batalha.

"Mas quando vim a Galípoli e mergulhei, o metal enferrujado e o aço dos destroços me lembraram das mãos do meu avô e eu segurei as suas mãos debaixo d'água".

O Parque Histórico Subaquático de Galípoli abriu 106 anos depois das forças otomanas e alemãs interromperem uma invasão de tropas britânicas, francesas, australianas e neozelandesas.

A resistência otomana ainda é um ponto de muito orgulho na Turquia moderna. Na época, frustrou o plano Aliado de controlar os estreitos que conectam o Egeu ao Mar Negro, onde seus aliados navais russos estavam encurralados.

Entre as pesadas perdas britânicas, está um navio de guerra de 120 metros, o HMS Majestic, primeira parada dos mergulhadores em profundidade de 24 metros na costa de Seddulbahir.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos