Barça de Guardiola foi único e Valverde não merecia ser demitido