Após se declarar não-binária, Bárbara Paz afirma: "Amo ser quem eu sou"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Bárbara Paz. Foto: reprodução/Instagram/barbararaquelpaz
Bárbara Paz. Foto: reprodução/Instagram/barbararaquelpaz

Resumo da notícia

  • Bárbara Paz comentou a repercussão após declarar que se reconhece como pessoa não-binária

  • Artista usou as redes sociais para afirmar que ama ser quem é

  • Post rendeu vários comentários elogiosos dos fãs e de amigos famosos

Bárbara Paz usou suas redes sociais na última sexta-feira (28) para comentar a repercussão de sua declaração de que se reconhece como uma pessoa não-binária, ou seja, que não se identifica com o gênero masculino ou feminino. A afirmação foi feita em entrevista ao podcast Almasculina, esta semana. 

"Sempre fui assim - inquieta curiosa com a vida. Liberdade de ser quem você é! Amo ser minha mulher, ser meu homem. Amo ser essa mistura de 'eus'. Amo ser quem eu sou", escreveu Bárbara no Instagram, acrescentando que jamais imaginou "que uma palavra resultaria em tantas repercussões".

Leia também:

O post rendeu vários comentários elogiosos dos fãs e de amigos famosos. "Você é demais", disse a atriz Paolla Oliveira. "Perfeita", opinou a roteirista Antonia Pellegrino.

Na entrevista, Bárbara contou sobre seu recente processo de autodescoberta. "Sou uma pessoa inquieta. Uma mulher, um homem, não-binária. Descobri que sou não-binária há pouco tempo. Um amigo meu falou que eu era, e eu acreditei, entendi", explicou.

Bárbara lembrou ainda sobre passagens da sua infância para explicar como se via na época e como se enxerga atualmente. 

"Quando ouvi esse discurso do não-binário, do transgênero, pensei: 'Será que, se tivesse escutado isso com 12 ou 13 anos, eu teria achado que eu era pelo fato de eu sentir isso?'. E não estou falando de sexualidade, mas de sensação. Às vezes eu me olhava no espelho e me sentia um garoto. Eu me olho no espelho hoje e sou uma mulher com peito, bunda, curvas... E você fala: 'Nossa, é superestranho'. Muitas vezes. Não é que eu não gosto. É estranho às vezes. E às vezes eu gosto", afirmou. 

A artista, que não explicitou por quais pronomes prefere ser chamada, afirmou que gosta de ser "menino e menina". "Pode? Hoje pode! Então hoje chama não-binário? Isso! Nossa, que legal! Então, está tudo certo eu falar isso? Não. Então, cada vez mais a gente consegue respirar e ser a gente. E isso não tem a ver com sexualidade, se gosto de mulher ou de homem. Gosto de pessoas", declarou.

Recentemente, Demi Lovato também contou se reconhecer como pessoa não-binária e disse preferir usar pronomes neutros.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos