Globo de Ouro: Primeira mulher asiática a ganhar e temos muito o que comemorar

Awkwafina, vencedora do prêmio de Melhor Atriz em Filme - Musical ou Comédia (Foto: Reuters)


A temporada de premiações 2020 já começou, e o Globo de Ouro abriu as portas para, mais uma vez, relembrarmos da importância da representatividade. O destaque da noite, você, com certeza, já ficou sabendo qual foi: a vitória da atriz Awkwafina na categoria Melhor Atriz em Filme - Musical ou Comédia por The Farewell.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

O momento foi marcante. A atriz, de 31 anos, é a primeira asiática a vencer a categoria na história da premiação, que já tem mais de 70 anos. Antes disso, Awkwafina, nome artístico de Nora Lum, já fazia parte de um pequeno grupo de mulheres que chegou a ser indicada para um prêmio no evento - foram seis, no total. 

Filha de mãe sul-coreana e pai sino-americano, a atriz nasceu nos Estados Unidos, em Nova York, e é formada em Jornalismo. No longa, muito aclamado pela crítica internacional, ela interpreta Bill, uma jovem parte de uma família que decide não contar para a matriarca que ela tem apenas algumas semanas de vida. 

Leia também

Aliás, Awkwafina não foi o único destaque do evento: em uma noite de vitórias para o Leste Asiático, o filme sul-coreano ‘Parasita’’, do diretor e roteirista Bong Joo Ho, e também um sucesso nos cinemas, saiu como vencedor na categoria Melhor Filme em Língua Estrangeira. 

Atores asiáticos têm, há tempos, reclamado o seu lugar de destaque quando o assunto é o mercado cinematográfico. De polêmicas em grandes produções, como Mulan, da Disney, até filmes independentes que têm se tornado sucesso em festivais internacionais, aos poucos eles têm recebido o devido reconhecimento pelo trabalho no meio do cinema e da televisão - apesar de muitos passos ainda precisarem ser dados. 

No ano passado, o filme ‘Para Todos os Garotos que Já Amei’ foi um dos grandes sucessos da Netflix. Estrelado pela atriz Lara Condor, de ascendência vietnamita, o filme ganhou notoriedade nas redes - mas a grande discussão rolou em torno do fato da atriz não conseguir outros grandes papeis, enquanto o seu par romântico na trama, o ator Noah Centineo, estrelou outras tantas produções dentro da própria Netflix. 

"Isso é incrível", disse Awkwafina na coletiva de imprensa pós-premiação. "Mas também tem uma sensação de que você quer mais. Espero que seja só o começo". De fato, em um momento em que a representatividade tem se mostrado tão importante, é de se esperar que vejamos, cada vez mais atores, atrizes e diretores asiáticos, negros e parte da comunidade LGBTQ+ receberem a atenção e o reconhecimento que merecem.