Autor do meme da Pfizer responde ataques homofóbicos: "Tem que ralar pra tirar meu sono"

Resumo da notícia:

  • O humorista Esse Menino respondeu os ataques homofóbicos que recebeu após viralizar com o meme da Pfizer

  • No vídeo original, o autor do meme ironizou os 53 e-mails da Pfizer ignorados por Bolsonaro

  • A recusa de Bolsonaro de comprar vacinas para a população brasileira está sendo investigada na CPI da Covid

Após viralizar nas redes sociais com o meme da Pfizer, o humorista Esse Menino usou sua conta no Instagram para responder os ataques homofóbicos que recebeu após a fama instantânea nas redes sociais.

No vídeo original, o humorista brinca com a quantidade de e-mails enviada pela Pfizer ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para tratar da venda de vacinas contra Covid-19, mas que não tiveram resposta. Bolsonaro deixou 53 e-mails com oferta de vacina não respondidos, e o caso está sendo investigado na CPI da Covid.

Leia também:

Em seu testemunho, o autor do meme explicou que não tem medo de ataques homofóbicos, e que os haters precisarão "ralar" para conseguir tirar sua saúde mental.

"Tem que ralar muito pra tentar tirar meu sono em relação a isso. Eu saí do armário para os meus pais com 13 anos de idade, no interior de Minas. Esse viado tem estrada, filha. Então, assim… boa sorte. Só existe uma situação em que eu me sinto mal em ser gay, que é quando eu peço pra ficar com outro gay e ele diz não. Então assim quem vier xingar, e falar ‘ah, sua bicha’, pra você é ‘senhora bicha'", riu o humorista.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos