Autor de "Capitão Cueca" retira livro racista de circulação e pede desculpas a leitores asiáticos

Barbara Goldberg
·1 minuto de leitura
Autor Dav Pilkey em Los Angeles

Por Barbara Goldberg

NOVA YORK (Reuters) - A editora Scholastic Corp suspendeu a publicação de um livro do autor infantil Dav Pilkey, conhecido pela série "As Aventuras do Capitão Cueca", que fez um pedido de desculpas pelas "imagens racistas" não intencionais no livro.

Pikey, autor de mais de 40 livros, disse que "As Aventuras de Ook e Gluk: Mestres do Kung Fu Primitivos do Futuro", publicado pela primeira vez em 2010, seria retirado das vendas e das prateleiras de bibliotecas.

"Eu espero que vocês, meus leitores, me perdoem, e aprendam que estereótipos e racismo são prejudiciais a todos", disse Pilkey, de 55 anos, em uma declaração no YouTube no dia 26 de março.

A história em quadrinhos sobre um grupo de amigos que salva o mundo usando o kung fu tinha na verdade "a intenção de mostrar a diversidade, igualdade e a resolução de conflitos por meios não violentos", mas foi um tiro que saiu pela culatra, disse.

"Foi trazido à minha atenção que esse livro contém também estereótipos raciais prejudiciais e imagens racistas", disse Pilkey. "Foi e é errado e ofensivo para meus leitores, amigos e familiares asiáticos, e é para todas as pessoas asiáticas".

A medida acontece durante um momento de questionamento sobre abusos e violência contra asiáticos nos Estados Unidos, seguindo o episódio de assassinato de seis mulheres de origem asiática em estabelecimentos na região da cidade norte-americana de Atlanta.

A decisão de retirar o livro de circulação neste mês ocorre após a remoção de uma série de títulos escritos décadas atrás pelo autor infantil Dr. Seuss, por conterem imagens ofensivas e racistas.

(Reportagem de Barbara Goldberg)