Autocuidado na pandemia: cuidar de si é uma via de mão dupla

Marcela De Mingo
·4 minuto de leitura
Confident woman in her 50s smiling with natural skin, no make up, beauty, carefree, wellbeing, healthy lifestyle
Confident woman in her 50s smiling with natural skin, no make up, beauty, carefree, wellbeing, healthy lifestyle

Tudo bem que, para muita gente, o feed do Instagram virou um desfile de máscaras faciais caseiras e incentivos ao autocuidado na pandemia. Mas se olharmos mais de perto e com seriedade, o que significa cuidar de si mesmo em um momento como esse? E por que isso é tão importante?

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário

Na última semana, conversamos mais uma vez com a consteladora e terapeuta Alessandra Pais para saber como, de fato, exercer o autocuidado de forma efetiva no período de pandemia e transformar essa prática em parte da nossa rotina.

Leia também

Entrada e Saída

Durante o bate-papo, que você pode ver abaixo, Alessandra explica que o autocuidado pode ser dividido em duas partes. Primeiro, a entrada. Isso significa tudo aquilo que você permite entrar: as influências que recebe no dia a dia, o quanto você cuida de você mesmo e até a sua relação com as redes sociais.

Basicamente, essa primeira parte diz respeito a tudo aquilo que você leva para dentro de si. Por exemplo: você está dormindo bem? Qual a qualidade dos alimentos que você consome? Existe algum momento do dia que você dedica a você mesmo?

Aqui, entram até mesmo alguns elementos que Alessandra recomenda como essenciais para você conseguir desligar a mente por alguns momentos do trabalho (e até do mundo) e focar em si mesmo, como aprender algo novo (uma língua estrangeira ou uma habilidade manual) e cuidar do seu ambiente.

A rotina, aliás, é essencial para tornar esses hábitos de autocuidado em parte constante do seu dia a dia. O ideal não é olhá-la com rigidez, mas buscar disciplina, sabendo priorizar o que é realmente importante e o que precisa ser feito a cada momento.

Quando se fala em saídas, vamos ao outro lado da balança. Aqui, o autocuidado diz respeito ao que você coloca para fora de você. Ou seja, é a maneira como você se relaciona com os outros e com o próprio ambiente. Por exemplo, você tem o costume de fazer comentários nocivos online? Caso sim, essa é uma saída que indica que o seu nível de autocuidado está baixo, tanto consigo mesmo quanto com os outros, afinal, como explica Alessandra, o que você coloca para fora, você também coloca para dentro.

É por isso, inclusive, que a consteladora recomenda alguns momentos do dia longe das redes sociais e um consumo consciente de notícias no dia a dia para diminuir a carga de estímulos negativos. Aliás, vale a pena lembrar que uma forma inteligente de usar a internet é escolhendo pessoas para acompanhar com as quais você se identifica e que estimulem uma visão positiva de si mesma e do mundo. Não só isso, mas também escolher a dedo onde você se informa sobre a situação global priorizado ler apenas algumas notícias por dia (ou por semana), de fontes confiáveis.

Aqui, vale considerar também se você está se colocando a disposição para devolver ao mundo o cuidado que está dando a si mesmo, mesmo que nas pequenas coisas - isso pode acontecer tanto quando você opta por trocar sacolas plásticas por reutilizáveis, quanto se disponibilizando para fazer compras para pessoas do grupo de risco ou até doando cestas básicas.

Ao final, o que ficou entendido é que o autocuidado é uma via de mão de dupla, mas é preciso uma primeira observação individual, em busca do que você precisa para se sentir bem, saudável e disposto, para então devolver ao mundo esse mesmo carinho e atenção.