Atriz de "Orange is the New Black" foi hospitalizada após ataque homofóbico

·1 minuto de leitura
Lee Delaria como Carrie “Big Boo” Black em cena de
Lee Delaria como Carrie “Big Boo” Black em cena de "Orange is The New Black" (reprodução)

Resumo da notícia:

  • Lee Delaria, intérprete de Carrie “Big Boo” Black em "Orange is The New Black", relembrou episódio traumático da sua vida em entrevista recente

  • De acordo com a atriz de 63 anos, ela já chegou a ser hospitalizada após ser vítima de um ataque homofóbico violento

  • "Meu nariz foi quebrada, uma órbita ocular foi lascada e tive várias costelas quebradas", lembrou ela

Lee Delaria, intérprete de Carrie “Big Boo” Black na série "Orange is The New Black", relembrou em entrevista ao site Page Six um dos maiores traumas da sua vida: um ataque homofóbico que lhe gerou uma hospitalização na juventude..

De acordo com a atriz de 63 anos, o ataque aconteceu quando ela tinha 24 anos, em São Francisco, nos Estados Unidos. Ela não deu detalhes sobre os autores do crime, mas relatou as sequelas da violência.

Leia também:

"Meu nariz foi quebrado, uma órbita ocular foi lascada e tive várias costelas quebradas”, disse ela. “Já fui abusada verbalmente mais vezes do que você pode mencionar na minha vida, e isso ainda continua. Sempre há alguém que vai me chamar de gorda”.

Na mesma entrevista, ela afirmou que os ataques homofóbicos costumavam ser mais agressivos contra as lésbicas butch - ou seja, mulheres com aparência mais masculina - como ela.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

“Isso é um fato. Somos atacadas mais do que qualquer outra mulher em nossa comunidade. Sempre foi difícil para as mulheres trans, muito difícil, especialmente para as mulheres trans negras, e sempre foi incrivelmente difícil para as lésbicas mais masculinas”, explicou.

Com o sucesso da sua personagem na série da Netflix - encerrada em 2019, após sete temporadas - Delaria acredita que ganhou mais respeito da sociedade, após muitos anos convivendo com o preconceito.

“O que 'Orange is the New Black' fez por mim, como lésbica, foi abrir os corações e as mentes das pessoas para mulheres que se parecem comigo. Porque Orange foi a primeira representação positiva de uma lésbica butch que eu já vi na mídia tradicional”, finalizou.

Ouça o Pod Assistir, podcast de filmes e séries do Yahoo:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.