Ator vira Sidney Magal nos palcos e relata frenesi e até 'mão-boba' de fãs

*Arquivo* SÃO PAULO, SP, 21.09.2018 - O ator Marcio Louzada. (Foto: Zé Carlos Barretta/Folhapress)
*Arquivo* SÃO PAULO, SP, 21.09.2018 - O ator Marcio Louzada. (Foto: Zé Carlos Barretta/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Veterano dos teatros, o ator Marcio Louzada, 37, encara o desafio de interpretar Sidney Magal, 71, no musical "Quero Vê-la Sorrir'", inspirado na biografia do artista. Durante 90 minutos, ele canta mais de 20 hits do cantor, rebola muito em cena e ainda incorpora o estilo latino sensual de Magal, que encanta o público há 55 anos.

Louzada chama a atenção pela semelhança, timbre de voz e altura parecidas com a de Magal -ele tem 1,88 de altura e o cantor 1,93. "Nossa, encontraram um ator tão alto quanto eu e ainda mais bonito", disse Magal ao seu intérprete antes da estreia do musical no Teatro Claro Rio, no final de maio. O cantor mora na Bahia e ainda não viu o musical.

Magal não é o único que se surpreendeu com Louzada. O ator diz que algumas fãs se empolgaram muito durante o musical, cantaram junto, dançaram e chegaram a puxá-lo porque enxergavam nele o cantor verdadeiro. Até mão-boba ele teve que enfrentar das fãs.

Nem nos almoços em família Louzada tem sossego e já teve que cantar "Sandra Rosa Madalena" para a mãe e as tias, mesmo depois de elas terem visto a peça "na primeira fila", recorda ele.

O ator conta que conheceu Magal aos seis anos, na febre da lambada, cantando o hit "Me Chama Que Eu vou", tema da novela Rainha da Sucata (Globo), em 1990. "Eu já adorava dançar nessa época e participei de concursos de lambada", revela o ator, que tem formação em balé clássico.

Louzada recebeu o convite para o teste para o musical em janeiro, após a indicação de um cantor lírico -a produção não conseguia encontrar um ator para interpretar o cantor. No dia seguinte à reunião com a produção do espetáculo, ele recebeu uma ligação perguntando se aceitaria ser o Magal no musical. "Aceitei de cara, imagina que eu não vou aceitar", diz o ator, rindo.

Com pouco tempo para se preparar para a estreia, o ator passou a ouvir as músicas do cantor o tempo inteiro -algumas ele não conhecia- e a ver vídeos no YouTube para pegar os trejeitos do artista. "Eu fiquei surpreso que no primeiro dia de ensaio eu tinha todas as músicas decoradas, o texto ficou para depois."

Nascido no Rio e radicado há sete anos em São Paulo, Louzada começou a fazer teatro aos oitos anos, quando ainda morava no bairro da Tijuca com a família. Fez faculdades de artes cênicas e jornalismo e atua há 20 anos em espetáculos teatrais. Mas foi depois de uma temporada trabalhando como modelo em Nova York e assistindo a musicais, que ele ama, que decidiu estudar canto lírico, já quando voltou ao Brasil.

A primeira oportunidade em musicais foi pelas mãos do ator e bailarino Jarbas Homem de Mello, um dos ícones do teatro musical e marido de Cláudia Raia. Ele deu a Louzada a primeira oportunidade de atuar e como um dos protagonistas do musical "Constellation", que ficou vários anos em cartaz. Depois disso, o ator não parou mais e fez musicais importantes, como "My Fair Lady" e "Um Dia na Broadway".

"Eu vejo que muita coisa que eu faço hoje no Magal vem do Jarbas, toques dele com aquela experiência toda em musical", revela o ator, que espera ver o marido de Cláudia Raia na plateia, mas no mesmo dia da estreia ele estava em cena com Cláudia Raia com o espetáculo em "Conserto Para Dois, o Musical", em São Paulo. "O Jarbas está tentando ir para o Rio para ver [o musical]", torce Louzada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos