O ator Max von Sydow, de Bergman a "Game of Thrones"

Por Pia OHLIN
O ator sueco Max von Sydow posa para uma foto em 5 de março de 1989 em Rouen, oeste da França

Imortalizado em uma partida de xadrez contra a Morte em "O Sétimo Selo", de Ingmar Bergman, Max von Sydow, que faleceu aos 90 anos, trabalhou com grandes diretores de Hollywood e recentemente na série "Game of Thrones".

Com sua silhueta filiforme de quase dois metros, olhos azuis e voz rouca, Von Sydow sempre esteve presente nas telonas, entre 1949 e 2018.

Em Hollywood, Von Sydow interpretou o padre de "O Exorcista" em 1973 e foi escolhido por Steven Spielberg e Martin Scorsese para dois sucessos de bilheteria "Minority Report - a nova lei" (2002) e "Ilha do Medo" (2010), com Tom Cruise e Leonardo DiCaprio respectivamente.

Em 2015, participou novamente de uma grande produção, "O Despertar da Força", sétimo episódio da saga "Star Wars".

Mais recentemente, encarnou o Corvo de três olhos na série de sucesso "Game of Thrones".

No entanto, os grandes prêmios lhe escaparam. Foi indicado duas vezes ao Oscar por seu papel em "Pelle, o Conquistador" (1987) e "Tão forte e tão perto" (2011).

Como explicar essa falta de reconhecimento? "Os atores que gozam de algum sucesso sempre recebem o mesmo tipo de papal, eu fui vítima disso", declarou o ator ao jornal sueco Aftonbladet em 2011.

Von Sydow nasceu em 10 de abril de 1929 em Lund, no sul da Suécia, filho de Carl Wilhelm, professor de etnologia, e Greta, professora. Depois de terminar o ensino médio, matriculou-se na Escola Real de Artes Dramáticas de Estocolmo.

O diretor sueco Ingmar Bergman o notou nos anos 50 e o contratou para papeis de destaque no Teatro de Malmo (sul), como em "Peer Gynt", "O misantropo" e "Fausto".

Em 1957, Von Sydow encarnou o Cavaleiro em "O Sétimo Selo". Ele participou de uma dúzia de outros filmes de Bergman, incluindo "Moeangos Selvagens", "O Rosto" e "A Hora do Amor".

Três anos depois, Von Sydow retornou ao Royal Theatre de Estocolmo, cuja companhia integrou até 1972.

Na época, sua carreira em Hollywood já estava encaminhada: encarnou Jesus em "A Maior História de Todos os Tempos" (1965) com Charlton Heston e atuou em "Havaí" (1966), com Julie Andrews.

Em 1986, Woody Allen o contratou para "Hannah e suas irmãs".

John Huston, Sydney Pollack, Bertrand Tavernier, David Lynch, Andrei Konchalovsky, Wim Wenders e Ridley Scott também o incluíram em seus projetos, inclusive em filmes menos cerebrais como "Flash Gordon" (1980) e "Conan, o Bárbaro" (1982).

Em 1997, Von Sydow, pai de dois filhos de um primeiro casamento com a atriz sueca Christina Olin, casou-se em segundas núpcias com a diretora francesa de documentários Catherine Brelet.

"Quero viver na França. Quero morrer na França", afirmava o ator, que obteve a nacionalidade francesa em 2002 e foi distinguido Cavaleiro da Legião de Honra em 2011 pelo governo.