Ator, empresário, produtor e cozinheiro, Felipe Titto sobre rotina: 'Quero uma pausa aos 35'

(Foto: Reprodução/Instagram/@felipetitto)

Felipe Titto já fez cinco novelas no horário nobre da Globo. Em 2018, ganhou espaço no “Vídeo Show”, que deixou a grade de programação da emissora em janeiro. Ainda sem saber se voltará a trabalhar na dramaturgia ou se investirá na carreira de apresentador, o artista confessa que o fim da atração foi uma surpresa para todos. No entanto, a rotina atarefada não o deixa parar.

Receba no seu Whatsapp as novidades sobre o mundo dos famosos (e muito mais)

“Recebi a notícia enquanto estava fazendo uma reportagem externa. Deixei tudo no meio e fui embora, não precisei terminar. O boato era que rolaria uma reformulação, mas ninguém achava que o programa deixaria de existir”, conta.

Segundo ele, que já consegue brincar com a situação, foi um trauma descobrir que o programa para o qual havia gravado até matérias adiantadas, acabou de uma hora para outra com todo material indo para o lixo.

Se a intenção foi minimizar os danos não tem como saber, mas a Globo já fez um convite para o ator fazer mais uma novela das nove. Ele, no entanto, pode ser que não aceite. “Tenho outros dois projetos no entretenimento, que são programas para apresentar, e não sei o que vou fazer agora”, diz Titto, sem revelar se os planos são dentro da emissora carioca ou em outras TVs.

Rotina atarefada!

Mesmo sem ter seu futuro na TV decidido, o ator é um cara que não fica ocioso. Além de ser pai de um adolescente, Felipe é dono de oito empresas, cuida de uma banda de rap, é cozinheiro e dono de uma ONG, mas não gosta de falar sobre o projeto social, pois acredita que “o que uma mão dá a outra não deve ver”.

Para dar uma passada no Chilli Mob Cruise, por exemplo, ele ficou uma noite sem dormir porque teve de ir para Balneário Camboriú (SC), destino do navio, direto do Mato Grosso, onde estava a trabalho. Ele conta que essa rotina agitada dificulta, inclusive, a chegada de novos herdeiros porque fica complicado até para namorar.

(Foto: Eduardo Martins/AgNews)

“Aqui mesmo não dá tempo de paquerar, só se alguém quiser ficar comigo por uma hora, mas acho que vai ser pouco para essa pessoa. Acho que assim fica muito ‘mandioca no bombril’, então vou ter que ir embora sem pegar ninguém”, diz, aos risos.

Focado no trabalho, Titto já estipulou um prazo de validade para essa correria. Hoje, com 32 anos, ele sonha em desacelerar aos 35. “Não é que eu vá me aposentar, mas não penso em continuar trabalhando nesse ritmo. Quero fazer uma pausa, ser pai de novo. Quero ter mais uns três, quatro filhos. E preciso me planejar para não perder muitas coisas deles nessas loucura de viagem, como aconteceu com o Théo”, conta.

O lado pai

(Foto: Marcos Ribas/Brazil News)

Amigo do filho, que já está com 16 anos, Felipe é aquele tipo de pai amigo, compreensivo, que não exige muito. “Não consigo ser aquele pai coxinha, que pergunta se o filho foi bem na escola. Não exijo que ele sempre tire 10, mas quero que passe de ano e faça um intercâmbio, pense bem no que vai  fazer no futuro e aproveite esse investimento que eu posso oferecer agora”, conta.

Ao falar de tudo o que sonha para Théo, Felipe lembra do quanto foi difícil seu início de carreira sem esse suporte que pode proporcionar ao filho atualmente. O ator parou de estudar na sétima série e diz que tudo o que conquistou foi com muito esforço braçal, inclusive, a responsabilidade sobre o filho, que nasceu quando o ator tinha apenas 17 anos.

“Todas as paradas que fiz foram na unha, na raça. Não fiz faculdade de nada e só tenho empresas porque sou uma pessoa interessada nas coisas. Aos 16, já estava no meu décimo emprego”, revela.

Quebra de barreiras

Felipe Titto em cena de ‘O Outro Lado do Paraíso’ com Eliane Giardini (Foto: Reprodução/Globo)

Para chegar onde está, Felipe Titto não teve de superar apenas a falta de recursos financeiros. O ator, que é apaixonado por tatuagens, conta que teve de se posicionar e ter muita coragem para fazer vários desenhos pelo corpo sem deixar de trabalhar como ator.

“Empurrei isso de goela abaixo, fui o primeiro ator a assumir as tatuagens na TV. Acho que a gente não tem que abrir mão das coisas que a gente gosta por outras. Para muitos, ou você é tatuado ou você é ator. E a gente pode fazer as duas coisas”, defende.

Depois de levar muitos ‘nãos’ por conta dos desenhos espalhados pelo corpo, Titto conta que não perdeu o foco e conseguiu se posicionar diante do mercado. Agora, ele até vê um lado positivo em ser o único com ator com o corpo repleto de tatuagens.

“Não me limito, mas me especifico. Se tiver um personagem tatuado certamente vão pensar em mim porque não tem ninguém mais tatuado que eu e que faça novela. Em todas as novelas que fiz assumi minhas tatuagens e em algumas a maquiagem até fazia mais para aparecer mais tatuado do que já sou. Então, fico muito orgulhoso de ter conquistado isso”, vibra.

Paciência para lidar com os ‘haters’

Recentemente, Felipe foi chamado de “frango” por um seguidor em uma de suas fotos sem camisa. Logo depois, o ator respondeu ao comentário de uma forma inesperada e a atitude repercutiu nas redes. “O engraçado é que em nenhum momento disse que não era frango ou algo do tipo… E outra, fica em paz, porque o que eu tenho de magreza, eu tenho de calabresa”, disse à época.

Ao Yahoo, o ator esclarece que a intenção foi fazer uma brincadeira e garante não levar para o lado pessoal os comentários dos internautas. “Jamais diria isso bravo. A internet é aquela coisa, por trás do portão todo chihuahua vira pitbull. É fácil latir, falar, falar e falar. Um dos problemas da internet é que todo mundo tem opinião sobre tudo”, avalia.

O ator diz que da mesma forma que não liga para as críticas também não se apega aos elogios. “Se fosse acreditar em tudo o que falam, teria um ego que não me deixaria passar por nenhuma porta”, diz ele, que tem sentido na pele o clima pesado das redes só de conversar com o filho.

No período de eleição, ele começou a querer discutir sobre política comigo. Não sou um cara com muito embasamento, mas me interesso na medida do possível. Entendi que essa geração leva tudo até a página dois. Eles leem um artigo no Facebook e já acham que sabem de tudo, critica.

Felipe Titto diz que começou a bater de frente com o garoto, começou a falar de coisas que viu e viveu e o fez entender que posts das redes sociais não são fontes 100% confiáveis.

“Ele queria argumentar, mas gaguejava o tempo todo. Provei que ele não sabia de nada. Na internet tem um monte de gente que não é nutricionista passando dieta, um monte de gente que não é formada em educação física passando treino, um monte de gente que não é estilista falando de moda. E 90% das pessoas compram essas verdades. É um absurdo”, afirma.