Ator de "Deadpool" explica por que inventou atentado terrorista

·2 minuto de leitura
T.J. Miller como Fuinha de
T.J. Miller como Fuinha de "Deadpool" (reprodução)

Resumo da notícia:

  • TJ Miller, ator de "Deadpool", explicou por que inventou um ataque terrorista em 2018

  • O artista afirma que surtou em decorrência do abuso do álcool e um problema no cérebro

  • Por causa da mentira, o ator foi preso pelo FBI e pode pegar até cinco anos de prisão

Anos depois de ver o seu nome estampado em páginas policiais, T.J. Miller, o Fuinha de "Deadpool", decidiu explicar em entrevista ao podcast The Tea com Dr. V. por que inventou um ataque terrorista nos Estados Unidos, em 2018.

Na época, o ator foi preso por agentes do FBI após passar informações falsas para a polícia sobre um suposto atentado. Ele viajava de trem entre Washington D.C. e Nova York quando ligou para as autoridades, garantindo que uma mulher carregava uma bomba na bolsa em seu vagão.

Leia também:

A embarcação foi imediatamente parada e evacuada, e as autoridades logo perceberam que tudo havia sido inventado por Miller. Ele foi mantido em cárcere até pagar uma fiança de US$ 100 mil.

Podendo pegar até cinco anos de prisão pelo caso, Miller quebrou, enfim, o silêncio sobre o episódio na entrevista. Segundo ele, a mentira foi o resultado de abuso de álcool e consequências de uma cirurgia no cérebro a que foi submetido em 2010.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

“Comecei a enlouquecer, não apenas quimicamente, mas fisicamente. Porque havia sangue indo para o meu lobo frontal direito, comecei a exibir características de quem está enlouquecendo", disse ele.

"Uma obsessão por quebra-cabeças, narrando meu próprio comportamento. Eu meio que tive essa mania por toda a minha vida, provavelmente, mas certamente desde a cirurgia”, completou o ator.

Com um histórico problemático - o ator já foi acusado de violência sexual e agredir um motorista de Uber -, ele acredita que o episódio acabou sendo importante para que fizesse ele procurar ajuda médica.

“O que é ótimo sobre o que aconteceu com esse mal-entendido do governo federal é que eu me conectei e encontrei um neuropsicólogo que foi capaz de dizer: Olha, o que você precisava após a cirurgia não existia naquela época”, afirmou.

Ouça o Pod Assistir, podcast de filmes e séries do Yahoo:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos