Ativistas climáticos jogam sopa em pintura de Van Gogh em Roma

Ativistas colam maõs na parede após jogarem sopa em pintura de Van Gogh em Roma

ROMA (Reuters) - Manifestantes ambientais italianos jogaram sopa de ervilha sobre uma pintura de Vincent Van Gogh em exibição em Roma nesta sexta-feira, antes de se colarem na parede da galeria.

A ação contra a obra "O Semeador" foi protagonizada por quatro mulheres do grupo Ultima Generazione (Última Geração, na tradução) que gritaram slogans contra o aquecimento global e os combustíveis fósseis.

"Essas questões deveriam estar nas primeiras páginas dos canais de notícias e agendas políticas a cada minuto, mas são abordadas apenas com ações 'escandalosas' como a desta manhã", disse o grupo em comunicado.

O ministro da Cultura italiano, Gennaro Sangiuliano, condenou o ataque à pintura, que ocorre depois que outra obra de Van Gogh foi alvo de manifestantes ambientais em Londres.

"A cultura, que é parte fundamental de nossa identidade, deve ser defendida e protegida e não usada como megafone para outras formas de protesto", disse Sangiuliano em comunicado.

Representantes de quase 200 países se reunirão no Egito na próxima semana para a conferência sobre mudanças climáticas COP27, à medida que cresce a pressão por ações mais duras para combater o aquecimento global.

"O Semeador" faz parte de uma exposição no histórico Palazzo Bonaparte, no centro da cidade de Roma.

A pintura, emprestada do Museu Kroeller-Mueller, na Holanda, era protegida por uma tela de vidro e não sofreu danos, disse Camilla Talfani, porta-voz dos organizadores da exposição.