Ativistas ambientais jogam sopa em quadro de Vincent van Gogh exibido em Roma

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ativistas do grupo italiano Ultima Generazione jogaram sopa de ervilha num quadro de Vincent van Gogh que está em exposição em Roma e, em seguida, colaram suas mãos à parede da galeria do Palácio Bonaparte, nesta sexta (4).

O ataque ao quadro "The Sower", ou "O Semeador", foi promovido por quatro mulheres, num protesto contra a crise do clima. Elas gritavam frases contra o aquecimento global e o uso de combustíveis fósseis.

Casos semelhantes aconteceram recentemente com as obras "Girassóis", do mesmo autor, atingida por sopa de tomate, "A Primavera", de Sandro Botticelli, e "Moça com Brinco de Pérola", de Johannes Vermeer.

Em suas redes sociais, o Ultima Generazione publicou uma foto do protesto, acompanhada de uma declaração. "Agimos por amor à vida e, portanto, por amor à arte. Em um futuro em que lutaremos para encontrar comida para todos, como podemos pensar que a arte estará protegida?"

A obra de Van Gogh está em exposição no centro de Roma após um empréstimo do museu Kroeller-Mueller, dos Países Baixos. Ela estava protegida por uma tela de vidro e não sofreu danos, de acordo com a agência de notícias Reuters.

O aumento na quantidade de protestos que tomam galerias de museus como palco se deve à proximidade da reunião da COP27, a 27ª Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, que acontece no Egito na próxima semana.