Ativista Gloria Steinem ganha Prêmio Princesa de Asturias de Comunicação e Humanidades

·1 minuto de leitura
Gloria Steinem discursa durante Marcha das Mulheres em Washington

Por Aida Pelaez-Fernandez

(Reuters) - A Fundação Princesa de Asturias concedeu nesta quarta-feira o Prêmio de Comunicação e Humanidades de 2021 à jornalista, escritora e ativista de direitos da mulher Gloria Steinem.

"Agradeço a Fundação Princesa de Asturias e seu júri por enaltecer o trabalho científico, cultural, social e humanitário que faz do nosso mundo um lugar melhor", disse Steinem em um comunicado oficial divulgado pela instituição que concede o prêmio.

"Me sinto humildemente honrada. Depois de um ano difícil para todos nós, estou desejando que voltemos a nos reunir em comemoração e comunidade".

Steinem, jornalista norte-americana residente em Nova York, é um dos rostos mais conhecidos do movimento feminista de seu país. Ela iniciou seu ativismo no final dos anos 1960, e em 1972 fundou a primeira revista criada e dirigida exclusivamente por mulheres, 'Ms.', onde trabalhou como editora durante 15 anos.

"O ativismo de Gloria Steinem, marcado pela independência e o rigor, é o motor de uma das grandes revoluções da sociedade contemporânea", disse em um comunicado a Fundação Princesa de Asturias.

"Um reconhecimento merecido a uma feminista que não deixou nem a estrada, nem a luta, sendo inspiração para milhões de mulheres", comemorou em sua conta de Twitter a ministra da Igualdade espanhola, Irene Montero.

Como ativista, Steinem foi além da luta pela igualdade de gênero e também se envolveu em temas como o racismo, a pena de morte e os maus tratos infantis.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos