Atitude de Vítor Pereira irrita direção do Corinthians e consolida resistência por estrangeiros


A diretoria do Corinthians foi pega de surpresa com a informação de que o técnico Vítor Pereira está encaminhado com o Flamengo. Inclusive, de acordo com fontes ouvidas pela reportagem, o presidente Duílio Monteiro Alves estaria abalado com a situação. O mandatário corintiano criou uma relação de amizade com o treinador português e tem se sentido pessoalmente traído.


O Timão tentou durante mais de um mês a renovação contratual de Vítor Pereira. O profissional chegou a falar internamente e publicamente por diversas vezes que o seu desejo era permanecer, mas que tinha questões familiares que o impediam. Por fim, a decisão foi pela saída, com ‘juras de amor’ ao clube do Parque São Jorge e a garantia de que voltaria para Portugal somente porque precisava estar próximo da família e superar os problemas.

Porém, 13 dias se passaram e Vítor não voltou para a Europa. Logo após a última rodada do Brasileirão, no dia 13 de novembro, a família de Pereira chegou ao Brasil. Eles ficaram alguns dias em São Paulo e depois foram para um resort na Bahia. Lá, o vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz, se hospedou nos últimos dias para amarrar os ‘finalmentes’ com o treinador.

O clube carioca deixou claro que dará todas as condições para que Vítor Pereira traga os seus familiares ao Brasil, algo que também foi oferecido pelo Corinthians, mas descartado com a justificativa de que a sogra do treinador tinha um problema de saúde sério, que impossibilitaria o deslocamento.

+ Provável acerto de Vítor Pereira com o Flamengo rende enxurrada de memes; confira

Entre o Timão e Vítor Pereira também haviam algumas divergências em relação à montagem do elenco para a próxima temporada. Apesar disso, de acordo com o que foi apurado pelo LANCE!, a situação era bastante contornável, e a direção corintiana apostava até mesmo no bom relacionamento entre as partes para que essas diferenças fossem resolvidas.

Vítor Pereira segue no nordeste brasileiro, enquanto um representante com ótima abertura no Flamengo, que não é empresário do treinador, resolve os detalhes financeiros e burocráticos. Os flamenguistas teriam oferecido uma quantia alta em dinheiro para o português e a sua comissão. Porém, não há garantias se o estafe do treinador será o mesmo, porque na equipe técnica há profissionais que querem retornar para Portugal.

Ainda assim, a contratação do técnico pelo Rubro-Negro está bastante encaminhada, restando somente o alinhamento de algumas questões, como tempo de contrato e corpo técnico.

Vitor Pereira e Dorival
Vitor Pereira e Dorival

Vítor Pereira e Dorival Júnior decidiram a final da Copa do Brasil 2022. Melhor para o então técnico rubro-negro (Foto: Staff Images / Conmebol)

RESISTÊNCIA A ESTRANGEIROS

Desde a saída do argentino Daniel Passarella, em 2005, o Corinthians não tinha um gringo em seu comando. A escrita foi interrompida pela contratação de Vítor Pereira, em fevereiro deste ano. Dessa forma, o modo que o português deixou o clube alvinegro dobrará a resistência corintiana a opções que são de fora do Brasil.

A escolha por um nome internacional, a princípio, foi defendida somente pelo presidente Duílio, que bateu de frente até com um dos seus homens de confiança, o diretor de futebol Rodrigo de Andrade, alguns membros do Cifut (Centro de Inteligência de Futebol) e aliados políticos, como o ex-presidente Andrés Sanchez. Movido pela onda de sucesso de portugueses no Brasil, principalmente Jorge Jesus no Flamengo e Abel Ferreira no Palmeiras, o mandatário corintiano queria um treinador dessa escola no comando da equipe após a demissão de Sylvinho.

No fim de 2021, quando Sylvio ainda dirigia o Timão, a direção do clube conversou com Jorge Jesus, mas não sentiu conexão entre as partes. Vítor Pereira, então, foi oferecido por algumas pessoas próximas a Duílio, que se encantou com o bom relacionamento no primeiro contato.

Até mesmo nos dias posteriores à saída do técnico, o presidente corintiano sempre se referiu ao português com carinho, até pela relação pessoal construída. O técnico, por vezes, chegou a jantar na casa do presidente e sempre fazia questão de exaltar a diretoria corintiana como a melhor que havia trabalhado no futebol.

Vítor Pereira e Duílio
Vítor Pereira e Duílio

Vítor Pereira e Duílio tinham boa relação (Foto: Rodrigo Coca/Ag.Corinthians)