Sem Rihanna, A$AP Rocky faz show político e relembra George Floyd no Lollapalooza

Sem Rihanna, A$AP Rocky faz show político e relembra George Floyd no Lollapalooza (Foto: Manuela Scarpa/Brazil News)
Sem Rihanna, A$AP Rocky faz show político e relembra George Floyd no Lollapalooza (Foto: Manuela Scarpa/Brazil News)

Em sua estreia no Brasil, A$ap Rocky subiu ao palco do Lollapalooza Brasil com seu estilo extravagante tanto no visual quanto como um dos maiores nomes do rap na atualidade. Na plateia, o público aguardava ansiosamente, alguns desde as primeiras horas da manhã.

O rapper trouxe o seu imponente e letras poderosas para os fãs brasileiros. Sozinho no palco, acompanhado apenas de projeções no telão, A$AP aproveitou a passagem para falar sobre brutalidade policial e violência contra pessoas pretas.

Em um dos momentos, o rosto de George Floyd, morto pela polícia em um caso de projeção mundial em 2020, surgiu na tela, seguido de imagens de violência policial e os rostos de outros homens negros, que perderam suas vidas da mesma forma.

Também conhecido como o pai do primeiro bebê de Rihanna desde algumas semanas atrás, o rapper foi cobrado pela plateia pela presença da namorada no festival, já que rumores diziam que a cantora o acompanharia durante a passagem pelo Brasil. Ao entender que o público chamava pelo nome de Rihanna, A$AP riu e desconversou, engatando um de seus maiores hits, "Wild for the Night", e prometendo que o público ficaria louco com a música.

Sem Rihanna, A$AP Rocky faz show político e relembra George Floyd no Lollapalooza (Foto: Manuela Scarpa/Brazil News)
Sem Rihanna, A$AP Rocky faz show político e relembra George Floyd no Lollapalooza (Foto: Manuela Scarpa/Brazil News)

Mesmo com nuvens cinzas ameaçando estragar a apresentação no Autódromo de Interlagos, além de Miley Cyrus se preparando para tomar o Lolla no palco ao lado, o público se manteve fiel e acompanhou A$AP até as últimas músicas, que recompensou entregando um dos melhores shows do dia.

Ainda teve o clássico momento da bandeira do Brasil envolvendo o corpo do rapper, em uma homenagem ao país; um cigarro de maconha inflável e gigante, que chamou a atenção em meio à plateia; e protestos do público contra o atual presidente, Jair Bolsonaro, como tem acontecido em boa parte dos shows. "Ei, Bolsonaro, vai tomar no c*", gritou a plateia mais uma vez, em coro. "Quero todo mundo se sentindo bem hoje", respondeu o rapper, que pareceu não ter entendido os apelos.

Lollapalooza Brasil volta com protestos

Um fator que marcou quase todas as apresentações do primeiro dia do Lollapalooza foram as manifestações políticas. A drag queen Pabllo Vittar, por exemplo, pediu um “Fora, Bolsonaro” e usou uma bandeira com a foto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) estampada ao finalizar sua apresentação.

A britânica Marina, antes conhecida como Marina and The Diamonds, também aproveitou a presença no Brasil para protestar contra Bolsonaro e Vladimir Putin, presidente da Rússia - o país está em guerra contra a Ucrânia.

“A gente não precisa dessa energia e eu fico muito feliz que a minha fan base é a nova geração e vocês vão mudar o mundo”, declarou a cantora após o protesto em plena apresentação. O público do Lolla apoiou todos os coros pedindo “fora, Bolsonaro”.

Lollapalloza 2022