Sim, tocou lá: as mais inusitadas contribuições de Ennio Morricone ao mundo pop

Toca Ennio Morricone no Chapolin. E mais de uma vez (reprodução)

O compositor italiano Ennio Morricone morreu, aos 91 anos, nesta segunda-feira (6). Lembrado como um dos maiores mestres de trilha sonora do cinema, ele estava hospitalizado em Roma, após sofrer uma queda na qual fraturou o fêmur.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Em sua carreira, marcou época com a sua parceria Sérgio Leone, eternizada na "trilogia dos dólares" (Por um Punhado de Dólares, Por uns Dólares a Mais e Três Homens em Conflito) e, duas décadas depois, nas quase quatro horas de duração de “Era Uma Vez Na América“.

Leia também

Além disso, assinou a trilha de Cinema Paradiso, 1900, de Bernardo Bertolucci, O Enigma de Outro Mundo, de John Carpenter, e, recentemente, do western moderno Oito Odiados, de Quentin Tarantino. Podemos dizer que somente John Williams, compositor das músicas de Star Wars e Indiana Jones, tem currículo semelhante no cinema.

Mas estas são as suas contribuições mais famosas, com selo de "oficiais". A influência de Morricone sobre a cultura foi tamanha que ele apareceu nos lugares mais inusitados, sempre em tom de homenagem. Abaixo, lembramos alguns aparições mais inusitadas:

Sample de Jay-Z

Jay-Z é conhecido pelo seu imenso repertório cultural para citações (é o homem que compôs Picasso Baby...). Em 2002, o rapper lançou The Blueprint 2: The Gift & the Curse, continuação do disco mais importante da sua carreira, e conseguiu unir a realidade contemporânea do gueto dos EUA com os filmes de faroeste ao usar o sample de "The Ecstasy of Gold", clássico visto em Três Homens em Conflito, na faixa-título do álbum. O resultado foi espetacular.

Num dueto entre Ariana Grande e Andrea Bocelli (?)

E Più Ti Penso, tocada em Era Uma Vez na América, é uma das músicas mais famosas de Ennio Morricone. A faixa ganhou uma versão repaginada nas vozes do tenor Andrea Bocelli e da cantora pop Ariana Grande, em 2015. A inusitada parceria saiu de um álbum do italiano dedicado ao cinema chamado, ora essa... Cinema. E não é que o dueto ficou bem bonito?

Filme do Almodóvar

No final da década de 1980, quando Pedro Almodóvar começava a se tornar uma estrela mundial do cinema, o diretor espanhol já tinha tamanho suficiente para convidar Ennio Morricone para a trilha de Ata-Me. As músicas do italiano são o ponto forte do longa, uma comédia romântica com toques de suspense e sadomasoquismo. Mas diz a lenda que a relação entre os dois talentosos europeus não foi lá muito boa: no corte final, o cineasta, insatisfeito com o trabalho, teria optado por usar somente algumas músicas recebidas - não toda a trilha composta por Morricone.

Filme do Bob Esponja

No filme Bob Esponja: Herói Fora da Água, o simpaticíssimo calça-quadrada dá uma piscadela a todos os cinéfilos ao fazer um discurso emocionante ao som de "The Ecstasy of Gold", mesma música sampleada por Jay-Z.

Chapolin

Patrimônio cultural latino-americano, a série criada Roberto Gomes por Bolaños homenageou Ennio Morricone não só uma vez. Na dublagem brasileira do episódio de faroeste O Bandido, são tocadas as músicas "Come una sentenza" e "La Posada nº 1", ambas ouvidas primeiramente em "Era Uma Vez No Oeste", como lembrou o Fórum Chaves no Twitter. Já em "O show deve continuar - parte 4", a faixa de Morricone que serve de trilha é "La resa dei conti", de "Por um punhado de dólares".

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.