As 10 maiores gafes da história do Oscar

Os micos do Oscar (Foto: Getty Images)

Por Diego Olivares

Nem só de glamour vive a festa da Academia. Apesar de toda a pompa, o evento mais famoso do cinema já rendeu diversos momentos constrangedores ao longo de suas 91 edições, transmitidos ao vivo para bilhões de pessoas.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

Relembre abaixo algumas das mais marcantes

Moonlight ou La La Land?

Os atores Mahershala Ali, Emma Stone, Viola Davis e Casey Affleck (Foto: Dan MacMedan/Getty Images)

A maior gafe de toda a história da premiação ainda está bem fresco na memória de todos. Em 2017, Warren Beatty e Faye Dunaway subiram ao palco para anunciar o ganhador do Oscar de melhor filme. Quando leram o nome de ‘La La Land’, nenhuma surpresa - já que o musical era mesmo o favorito da noite. Porém, logo começou uma correria nos bastidores até que um dos produtores do longa explicou: o vencedor era o drama ‘Moonlight - Sob a Luz do Luar’. Depois, soube-se que Dunaway entrou em cena com o envelope da categoria anterior, dado a ela por engano pela produção.

Leia também

Morreu, mas passa bem

A bruxa estava solta na produção da cerimônia de 2017! Naquele mesmo ano, o clipe do segmento “In Memoriam”, quando são homenageados os artistas mortos nos meses anteriores à cerimônia, exibiu a imagem da figurinista Jan Chapman, vivinha da silva, ao lado do nome sua colega, Janet Patterson, a verdadeira falecida.

O tombo de Jennifer Lawrence

Atriz Jennifer Lawrence caiu ao subir para receber o prêmio (Foto: Mark Davis/WireImage)

O momento de subir ao palco para receber um Oscar é o sonho de todas as atrizes e atores do cinema, algo que eles costumam ensaiar exaustivamente, para ser perfeito na hora H. Porém, a sempre espontânea Jennifer Lawrence ficou tão desnorteada ao ser declarada vencedora em 2013, pelo desempenho em ‘O Lado Bom da Vida’, que tropeçou ao subir as escadas que a levavam ao palco. Famosa pelo despojamento, a estrela levou tudo no bom-humor.

John Travolta se enrolando

O ator John Travolta (Foto: Kevin Winter/Getty Images)

Pronunciar nomes de colegas de origem latino-americana, asiática ou do leste europeu é sempre um desafio a mais para as grandes estrelas de Hollywood. Já pensou ter que falar sem errar nomes que são quase sopas de letrinhas, como do diretor polonês Krzysztof Kieslowski, indicado em 1995? Mas a tarefa de John Travolta em 2014 nem era tão difícil. Mesmo assim, ele conseguiu chamar a cantora Idina Menzel (que interpretaria a canção ‘‘Let it Go’, de ‘Frozen’) por Adele Dazeem, sem nenhuma explicação. Um dos momentos mais embaraçosos de uma cerimônia do Oscar na última década.

Vazamento dos vencedores

O grande atrativo do prêmio da Academia é o suspense e a expectativa para saber o nome dos vencedores. Por isso, a produção contrata uma empresa de auditoria e um forte esquema de segurança, já que qualquer vazamento poderia estragar o momento. Mas nem sempre foi assim. Até 1940, os vencedores chegavam ao público pela imprensa no dia seguinte, já que ainda eram poucas as casas com TV. Todas as publicações dos EUA assinavam um acordo para liberar a lista de ganhadores apenas após a cerimônia, até que o jornal LA Times decidiu furar o combinado e divulgar antes dos concorrentes. A partir daí, a Academia adotou o modelo de envelopes.

O peladão

A organização do evento toma medidas rígidas para que não haja manifestações políticas de grupos durante a cerimônia, deixando lugar para eventuais protestos e manifestações apenas nos discursos dos participantes. Porém, em 1974, o fotógrafo e ativista Robert Opel conseguiu furar o bloqueio e desfilou nu pelo palco no meio da transmissão. Sua causa era simples: passar a mensagem que ninguém deveria ter vergonha de seu corpo. E, claro, conquistar os 15 minutos de fama.

O lapso de Cher

Cher durante cerimônia do Oscar (Foto: Frank Trapper/Corbis via Getty Images)

Ao receber o Oscar de melhor atriz em 1988, por ‘Feitiço da Lua’, Cher levou seu estilo excêntrico para o discurso. Ao agradecer parte da equipe que trabalhou no filme, disse apenas algumas funções, como “meu maquiador”, “meu cabeleireiro”, “a senhora que me ensinou a falar com o sotaque do Brooklyn”, sem citar ninguém pelo nome. Para piorar, esqueceu completamente de mencionar o diretor Norman Jewison ou o co-protagonista Nicolas Cage. A comunidade de Hollywood achou tudo muito deselegante, e Cher teve que publicar uma nota no dia seguinte agradecendo a todos.

James Franco e Anne Hathaway

James Franco e Anne Hathaway (Foto: A.M.P.A.S./Walt Disney Television via Getty Images)

Ser o mestre de cerimônia do Oscar costuma ser uma tarefa ingrata, a ponto de muitos astros recusarem a tarefa (Robin Williams, por exemplo, foi convidado inúmeras vezes, mas sempre se esquivou). Em 2011, a função foi dividida pela dupla James Franco e Anne Hathaway. Sem química nenhuma e com pouco timing cômico para o evento, eles foram considerados os piores anfitriões de toda a história. Em entrevistas nos anos seguintes, ambos admitiram que erraram a mão: o ator pela performance cínica, a atriz por ir na direção contrária, com animação exagerada.

Branca de Neve não autorizada

O caótico número musical que abriu a cerimônia de 1989 foi tida pela indústria como nada menos do que desastrosa. O ator Rob Lowe, que estava em cena, enfrentava na época uma série de acusações de assédio contracenava com uma atriz desconhecida vestida de Branca de Neve. A Disney não achou a menor graça e processou a Academia, por uso indevido da figura da personagem.

Qual dos Franks?

Franklin Hansen, Will Rogers (1879 - 1935) e o diretor Frank Lloyd (1886 - 1960) durante cerimônia do Oscar (Foto: New York Times Co./Getty Images)

Em 1934, o apresentador Will Rogers quis mostrar que era íntimo do cineasta que levava para a casa o prêmio na categoria melhor direção. Ao anunciar o nome do vencedor, disse apenas “Suba aqui para pegar o prêmio, Frank”. O problema é que havia dois concorrentes com esse nome: Frank Capra (por ‘Dama Por um Dia’) e Frank Lloyd (‘Cavalgada’). Capra foi o primeiro a chegar ao palco, mas o verdadeiro ganhador era seu xará.