Ari de "Pantanal", Claudio Galvan repercute meme do "câmbio" e revela que tentou deixar personagem mais carismático

"Câmbio final!": foi assim que Claudio Galvan, Ari da novela "Pantanal" finalizou nossa entrevista na tarde desta terça-feira (14). Recuperado da Covid-19, disse que os casos da doença "enlouquecem" os roteiristas da novela. A equipe precisa reorganizar os dias e horários das gravações, de forma que tudo fica "imprevisível".

Leia também:

"Pantanal": elenco testa positivo para Covid-19 e protagonistas entram em isolamento

Claudio não imaginava que o seu "câmbio" fosse fazer tanto sucesso, mas reconhece que usa estratégias para fixar a expressão na cabeça dos telespectadores. Dublador há quase 30 anos, sempre tenta usar a mesma entonação na hora de falar seu bordão. "Está sendo uma recepção maravilhosa. O público me cumprimenta nas ruas, bate nas costas e fala 'câmbio'. Uma vez estava no mercado e um cara parou para falar que nunca assistia novela, mas estava gostando de 'Pantanal'", disse ao Yahoo.

Galvan ainda revelou que maioria das famosas cenas onde conversa, pelo rádio, com José Leôncio (Marcos Palmeira), na verdade foram gravadas de forma separada: "Um assistente de produção fala a parte do Marcos".

Não é a primeira novela de Benedito Ruy Barbosa que ele participa. Claudio já esteve na segunda versão de "Cabocla", em 2004, onde fez Chico da Venda. Também participou de Sinhá Moça, Duas Caras, Paraíso Tropical, Beleza Pura, A Favorita e Paraíso (agora listando folhetins além de Benedito).

Com carinho, o artista confessa que aceitou o papel em "Pantanal" logo de cara, sem ao menos saber qual personagem faria. "Mergulhei de cara e comecei a estudar o personagem. "Tudo que entro para fazer, faço da melhor maneira possível. Estudei bem todas as possibilidades do personagem para que se transformasse em um personagem popular. O elenco da novela é pequeno. Todos os personagens têm peso, por menor que sejam", pontua.

Com o comandante Ari, Claudio apostou em deixá-lo mais carismático e íntimo da família. "Fui colocando tintas de humor e ele foi crescendo", complementa. Ele também relembra outros personagens marcantes, como o Bobó de "Sinhá Moça". O personagem ficou conhecido por comer as hóstias e tomar o vinho da sacristia.

Hoje, além da teledramaturgia e da dublagem, ele ainda tem uma escola onde ensina a arte de dublar. Claudio Galvan também é o Pato Donald no Brasil e também emprestou sua voz em filmes como "Madagascar" e "Shrek".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos