Argentino-israelense Daniel Barenboim se demite da Ópera de Berlim

O famoso maestro e pianista argentino-israelense Daniel Barenboim, que sofre de uma doença neurológica, anunciou nesta sexta-feira (6) sua demissão da Ópera de Berlim, que dirigia há três décadas.

"Infelizmente, meu estado de saúde piorou significativamente no último ano", disse Barenboim em comunicado. "Não posso mais oferecer a performance que se espera de um diretor musical".

O músico, que ocupava o cargo desde 1992, disse que sua decisão de renunciar será efetiva a partir de 31 de janeiro.

Barenboim anunciou em outubro que sofre de uma "doença neurológica grave".

O maestro de 80 anos, um dos maiores virtuosos do século XX, fez uma longa pausa em sua carreira em 2022.

Barenboim voltou aos holofotes para reger a Nona Sinfonia de Beethoven em dois concertos de Ano Novo em Berlim - em 31 de dezembro e 1º de janeiro - para uma Staatsoper lotada, que o aplaudiu de pé.

Conforme previsto, ele vai reger, neste fim de semana, a orquestra da Ópera durante os últimos três concertos, confirmou a Staatsoper.

Ele esteve no comando da Ópera Estatal de Berlim e de sua orquestra, a Staatskapelle, por três décadas. Seu contrato tinha duração até 2027.

mat/smk/mab-rsc/eg/ap