Argentina e México representarão a América Latina no Oscar

Estreia do filme "Argentina, 1985" em Buenos Aires

BUENOS AIRES (Reuters) - A América Latina estará presente no próximo Oscar com filmes do diretor argentino Santiago Mitre e dos cineastas mexicanos Guillermo del Toro, Alfonso Cuarón e Alejandro González Iñárritu, anunciou a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood nesta terça-feira.

"Argentina, 1985", filme de Mitre sobre o julgamento das juntas da última ditadura militar do país sul-americano, concorrerá na categoria de Melhor Filme Internacional.

O filme, que acaba de ganhar o Globo de Ouro, enfrentará "Nada de Novo no Front", da Alemanha; "Close", da Bélgica; "EO", da Polônia, e "The Quiet Girl", da Irlanda.

Guillermo del Toro, vencedor do Oscar por "A Forma da Água", foi indicado na categoria de Melhor Filme de Animação por sua versão de "Pinóquio", clássico conto de Carlo Collodi estrelado por Tom Hanks sobre o boneco de madeira que se transforma em criança.

"Pinóquio" vai enfrentar "Gato de Botas 2: O Último Pedido", de Joel Crawford; "A Fera do Mar", de Chris Williams; "Red: Crescer é uma Fera", de Domee Shi e "Marcel the Shell with Shoes On", de Dean Fleischer Camp.

Enquanto isso, Cuarón, que há quatro anos arrebatou a cerimônia do Oscar com "Roma", buscará mais uma vez o prêmio na categoria de Melhor Curta-Metragem de Ficção como produtor de "Le Pupille", que conta a história de um grupo de meninas de um internato católico em tempos de guerra e escassez.

"Le Pupille", que foi escrito e dirigido pela diretora italiana Alice Rohrwacher, competirá com "An Irish Goodbye", "Ivalu", "Night Ride" e "The Red Suitcase".

Já Iñarritu, vencedor de quatro estatuetas do Oscar, chega à cerimônia deste ano com “Bardo, Falsa Crônica de Algumas Verdades”, que foi nomeado na categoria de Melhor Fotografia e concorrerá com “Nada de Novo no Front”, “Elvis”, “Império da Luz" e "Tár".

"Bardo" conta a história de um jornalista e documentarista mexicano que retorna ao seu país, onde passa por uma crise existencial ao lidar com sua identidade, suas relações familiares e suas memórias.

A Academia anunciou nesta terça-feira as indicações para o 95º Oscar, e premiará os vencedores em 12 de março em uma cerimônia apresentada pelo comediante Jimmy Kimmel e transmitida pela emissora ABC, da Walt Disney.

Os vencedores serão votados por quase 10 mil atores, produtores, diretores e trabalhadores da indústria que compõem a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

(Reportagem de Lucila Sigal)