Após ser rejeitada por duas famílias, "cadela mais triste do mundo" consegue novo lar

Divulgação/Rescue Dogs Match

Finalmente uma boa notícia para Lana, uma cadelinha que recebeu o título de “cão mais triste do mundo”. Correndo o risco de ser sacrificada, ela conseguiu encontrar um novo lar para viver.

Tudo começou em 2015, quando uma foto de Lana cabisbaixa após ser devolvida por sua primeira família viralizou na internet. Ao retornar ao abrigo de animais, Lana passou a se comportar de forma indiferente e triste, sem disposição pra brincar ou interagir -o que lhe rendeu o título. Diversas doações e cartas de apoio foram recebidas e a cadelinha conseguiu ser adotada pela segunda vez por uma família canadense em 2016.

Mais uma vez os donos devolveram Lana após alguns meses e a falta de espaço para mantê-la fez com que a eutanásia fosse considerada. “A adoção da Lana não funcionou porque as pessoas querem um cachorro para fazer carinho e brincar. Lana é uma menina bobona e brincalhona, mas ela não é o tipo de cão que deixará você acariciá-la na barriga ou que dormirá na cama. Ela adora ter uma função“, explica Brenda Dobranski, fundadora da ONG “Rescue Dogs Match”, que a recebeu após a segunda devolução.

Divulgação/Rescue Dogs Match

A ONG compartilhou em seu site a ótima notícia de que Lana encontrou um novo abrigo para viver e que não precisará mais ser sacrificada. “Estamos feliz em anunciar que Lana encontrou um novo abrigo de animais e um novo programa de treinamento. Gostaríamos de agradecer toda a preocupação e suporte e nós os manteremos informados”.